Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Prefeitura identifica funcionário que mandou pintar a fachada do Convento São Francisco e o demite

Responsável pela pintura atuava como assessor técnico da Secretaria Municipal de Prefeituras Regionais e solicitou o serviço 'mesmo sem ordens superiores'

Jéssica Otoboni, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2018 | 11h24

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo informou nesta quinta-feira, 3, que identificou o responsável pela pintura na fachada do Convento São Francisco, no centro da cidade. Trata-se de um funcionário que solicitou o serviço “mesmo sem ordens superiores”. Ele já foi desligado do cargo.

+ O padre que salvou do Estado Islâmico parte da história

+ Papa diz que freiras fofoqueiras são piores que 'terroristas'

A fachada do Convento amanheceu pintada no dia 25. O monumento, construído na década de 1940, é tombado como patrimônio histórico e requer autorização para pintura.

+ Freiras se rendem às redes sociais para mostrar vida no convento

+ Cristãos perseguidos

O funcionário atuava como assessor técnico da Secretaria Municipal de Prefeituras Regionais, e “pediu indevidamente a pintura do local”.

Segundo a Prefeitura, a empresa que realizou o serviço será multada por agir sem ter recebido ordem devida. Além disso, o Departamento de Patrimônio Histórico orientará o processo de restauração.

A gerente jurídica responsável pelo Convento, Luana Giosa, disse que ainda não foi informada sobre o assunto e que aguardava a apuração do boletim de ocorrência feito em abril. Ela afirmou ainda que a Prefeitura terá de reconhecer o fato junto ao Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico (Condephaat) e ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). "Espero que tomem as medidas necessárias", ressaltou.

A tinta foi passada por cima das janelas e portas de madeiras e das placas de numeração. O Convento de São Francisco buscava os órgãos responsáveis pelo patrimônio histórico para identificar os autores da ação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.