Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

CCSP e mais 9 imóveis têm tombamento homologado em SP

Prefeitura de São Paulo também oficializou preservação da Chácara Baruel, da Biblioteca Narbal Fontes e de outras três residências na zona norte

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2019 | 12h17

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo homologou na quarta-feira, 25, o tombamento de nove imóveis no eixo formado pela Avenida Liberdade e a Rua Vergueiro e da primeira estação de tratamento a captar água do Guarapiranga. Além disso, publicou a notificação do tombamento de outras cinco residências nos distritos Tremembé e Santana, na zona norte.

Dentre os imóveis do Eixo Liberdade-Vergueiro, estão o Centro Cultural São Paulo (CCSP) e a Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforcados. O tombamento foi decidido em março do ano passado durante reunião do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp).

A determinação considerou estudos realizados na região em 1987, os mesmos que deram origem ao tombamento dos caminhos Glória-Lavapés. A resolução de tombamento ressalta a “dimensão sociocultural, da história, do cotidiano e da paisagem local, para além dos aspectos da arquitetura em si” e “os caminhos históricos da cidade de São Paulo, seu traçado e geografia, como testemunhos do processo de urbanização da cidade e da sua paisagem cultural”.

Além disso, o texto ressalta que o Eixo Liberdade-Vergueiro era tradicionalmente usado durante o período de urbanização da cidade como principal caminho até Santo Amaro. “Esse caminho passou por grandes transformações, ocasionadas pela expansão e desenvolvimento urbano, representados pela instalação de trilhos de bondes, depois pela linha norte-sul do metrô, e por um processo de verticalização ainda em andamento, estruturado a partir dessa via ou eixo.”

Com a determinação, qualquer intervenção na via, nos canteiros e nas calçadas da Avenida Liberdade, da Rua Vergueiro e da Praça da Liberdade precisão de análise prévia no Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) e do Conpresp.

Estação de água também é tombada no Alto da Boa Vista

A Secretaria Municipal de Cultural ainda homologou o tombamento da Estação de Tratamento de Água Theodoro Ramos, no Alto da Boa Vista, na zona sul. O espaço foi inaugurado em 1929, sendo pioneiro na captação de água da Represa Guarapiranga e que chegou a abastecer cerca de 400 mil pessoas até ser desativada em 1998.

A estação pertence até hoje à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O processo de tombamento estava em tramitação na esfera municipal desde 2009, sendo votado em reunião do Conpresp em agosto. A decisão abarca a antiga Casa do Filtro, a Bacia de Decantação e a Casa de Química.

“No cenário de pouca disponibilidade de água na década de 1920 e após anos de análise das alternativas disponíveis, a opção pela captação de águas menos puras para abastecimento da população a partir da Represa de Guarapiranga somente se tornou viável com a construção desta ETA, que introduziu o tratamento de água em larga escala através de uma nova tecnologia de filtros, importada da Alemanha, o que lhe confere importância científica ímpar”, explica a resolução de tombamento.

A estação leva o nome do idealizador e criador do projeto, o engenheiro Theodoro Augusto Ramos. “Arquitetura da ETA Prof. Dr. Theodoro Augusto Ramos se insere em um momento de busca por uma expressão que ilustrasse as aspirações de pujança e modernidade da população paulista, representada pelo estilo art déco”, diz. “É referência urbana no bairro do Alto da Boa Vista.”

Cinco residências na zona norte também estão com tombamento oficializado

A Prefeitura também publicou um edital de notificação do tombamento de cinco imóveis residenciais na zona norte da capital, construídos entre as décadas de 30 e 60. A preservação foi decidida em reunião do Conpresp em março de 2018.

Dentro os que imóveis que precisarão ser preservados, está o “Palacete Baruel”, erguido há mais de cem anos e também chamado de “Castelinho Baruel” por moradores da região. Outro destaque é a Biblioteca Narbal Fontes, também com história ligada à família Baruel antes de se tornar um equipamento da Prefeitura.

Conpresp arquiva pedido de estudo de tombamento de templo budista

O pedido de abertura de estudo de tombamento do templo budista Nikkyoji, da Vila Mariana, zona sul, foi arquivado no dia 16 deste mês. A decisão foi tomada em reunião do Conpresp, que considerou não terem sido “encontradas características que justifiquem a preservação”.

O templo é ligado à  Honmon Butsuryu Shu (HBS), vertente religiosa conhecida como budismo primordial. O espaço foi inaugurado em 1982, mas a fachada e o telhado atuais (de inspiração japonesa) são de 2012. 

O processo de preservação tinha o apoio de cerca de parte dos moradores da região e de um abaixo assinado, com algumas centenas de nomes. A HBS era contrária ao tombamento e já tem uma mudança de endereço planejada.

Veja a lista de novos tombamentos:

1. Sobrado na Praça da Liberdade, 83 - Liberdade 

2. Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforcados, na Praça da Liberdade, 238 - Liberdade 

3. Condomínio Edifício Jahu, no Largo da Pólvora, 96 - Liberdade 

4. Antigo galpão fabril transformado em teatro na Rua Barão de Iguape, 113 - Liberdade 

5. Casarão na Avenida Liberdade, 688 - Liberdade 

6. Conjunto de quatro sobrados na Rua Santana de Paraíso, 38, 42, 46 e 52 - Liberdade

7. Antigo predinho na Rua Castro Alves, 9 - Aclimação

8. Igreja e parte antiga do Colégio Santo Agostinho, na Praça Santo Agostinho, 37 - Liberdade

9. Centro Cultural São Paulo, na Rua Vergueiro, 1.000 - Aclimação 

10. Estação de Tratamento de Água Theodoro Ramos, na Rua Américo Brasiliense, 630 - Alto da Boa Vista

11. Casa na Av. Nova Cantareira, 5.816 - Tucuruvi 

12. Casa na Av. Nova Cantareira, 5.631 - Tucuruvi 

13. Residência na Rua Casa Forte, 166 - Água Fria

14. Antiga Chácara Baruel, na Rua Voluntários da Pátria, 2.677 - Santana

15. Biblioteca Narbal Fontes, na Conselheiro Moreira de Barros, 170 - Santana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.