Prefeitura fala em ampliar o evento no próximo ano

Depois de 24 horas e mais de 900 atrações, a 8.ª Virada Cultural termina com promessas de ampliação. O diretor de eventos da São Paulo Turismo (SPTuris), Everaldo Dourado Júnior, disse que a empresa de turismo municipal e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) veem possibilidade de ampliar a Virada para outras áreas da cidade.

O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2012 | 03h03

Nesta edição, o evento já havia sido expandido: foi a primeira vez que o Minhocão e a região da Luz entraram no roteiro de atrações. "Há oito anos era impossível pensar em fechar uma rua, e nesse fim de semana fechamos a cidade", disse Dourado Júnior.

Apesar da expansão, as pistas de dança montadas na região da cracolândia ficaram vazias na maior parte da noite. Para José Mauro Gnaspini, coordenador da Virada, o público ficou um pouco perdido com a transferência das pistas da Praça da Sé e do Largo São Francisco, no centro, para as ruas da região recém-ocupadas pela polícia. "Queríamos atrair os olhares para a cracolândia e fazer as pessoas circularem por ali", disse Gnaspini. "A praça Princesa Isabel é muito maior que a Sé e ficou cheia durante a madrugada." / JULIANA DEODORO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.