Prefeitura empareda boate Romanza, no Jardim Europa

Reportagem de 'O Estado de S. Paulo' denunciou o funcionamento irregular do estabelecimento

Gustavo Miranda, estadao.com.br

15 de fevereiro de 2008 | 14h36

Funcionários a serviço da Subprefeitura de Pinheiros voltaram a fechar, nesta sexta-feira, 15, a casa noturna Romanza Club, no Jardim Europa. O local havia sido lacrado no último dia 8, mas havia voltado a funcionar normalmente sem álvara havia pelo menos cinco dias, conforme denunciou reportagem de O Estado de São Paulo. Durante a operação da subprefeitura uma mulher jovem de calça jeans e salto alto acompanhou a interdição da casa, mantendo conversas através de celular. Ela não quis se identificar e não conversou com a imprensa. Policiais militares e funcionários a serviço da subprefeitura suspeitaram de uma possível ligação da jovem com a casa noturna.  A casa foi autuada no dia 8 por falta de alvará. Na ação, a Prefeitura afirmou que "o rompimento do lacre sem ordem judicial incorria no crime de desobediência, que prevê multa e detenção de 15 dias a seis meses". Nos últimos dias, no entanto, um time de seguranças e manobristas de terno e gravata recebia a clientela em frente à suntuosa porta de ferro que marca a entrada do imóvel.  Eram cobrados R$ 160 por pessoa, negociáveis. Para duas pessoas, o gerente baixou para R$ 200, com direito a um drinque e duas cervejas, refrigerante ou água. No pacote estão liberados conversas com as meninas, shows de strip-tease e acesso aos três ambientes da casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.