Prefeitura diz que indicação é técnica

A Prefeitura informou que "as indicações para os conselhos são feitas sob a avaliação da contribuição que os indicados podem dar à administração das empresas", ou seja, envolvem critérios técnicos - e não políticos. Mas o governo não detalhou de que forma os atuais conselheiros têm contribuído. O que ocorre nas reuniões dos conselhos não é publicado no Diário Oficial da Cidade.

O Estado de S.Paulo

12 Março 2012 | 03h02

A administração diz ainda que alguns dos secretários mantidos nos conselhos não recebem como titulares de pasta, pois trazem vencimentos de outros órgãos aos quais são vinculados. Miguel Bucalen, por exemplo, recebe como professor da USP. Mauro Ricardo também é funcionário do Estado. Outros secretários seguem como conselheiros, casos de Januário Montone (Saúde) e de Rubens Chammas (Planejamento), mas não são mais remunerados.

Questionada sobre como a diretora da Cohab, Elcita Ravelli, conseguia acumular um salário de R$ 30,5 mil mensais (R$ 18,5 mil como diretora e dois jetons de R$ 6 mil), a Prefeitura informou que ela se desligou da diretoria da companhia, apesar de seu nome ainda aparecer na função no site De Olho nas Contas. /D.Z. e R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.