Prefeitura diz que faz controle de ruído e defende contrato

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente informou que a inspeção de ruído é realizada e defendeu o contrato com a Controlar. Segundo a pasta, "o veículo passa por uma pré-análise auditiva para verificar se apresenta timbres e níveis de ruído considerados anormais". O teste não reprova um veículo.

, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2010 | 00h00

O governo municipal ainda diz que todos os centros de inspeção estão funcionando com licenças. Sobre a auditoria do TCM que pediu a revisão do preço da tarifa, a Prefeitura acrescenta que "o valor é o estabelecido pela licitação, reajustado de acordo com a fórmula prevista no contrato".

A Controlar argumenta que "as inspeções de ruído são efetuadas conforme previsto no contrato e na legislação aplicável". Na prática, a emissão de ruído não teve início nos anos de 2008 e 2009 porque o Ibama não havia regulamentado uma norma para padronizar os testes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.