Prefeitura divulga primeiro balanço de operação no entorno da Ceagesp

Blitz visa combater a sujeira, exploração de mão-de-obra, comércio ilegal e sonegação fiscal

Ricardo Valota e Gheisa Lessa, do estadão.com.br,

12 de maio de 2012 | 02h01

SÃO PAULO - O Gabinete de Gestão Integrada de Segurança (GGI), da Prefeitura de São Paulo, divulgou, na noite de sexta-feira, 11, um balanço parcial da operação - iniciada pela manhã e que não tem prazo para ser encerrada -, de combate à produção, conserto e ao comércio irregular de "caixarias", exploração de mão-de-obra, sonegação fiscal e atividade insalubre nas ruas do entorno da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na zona oeste da cidade.

 

Segundo a Prefeitura, foram apreendidos 25 caminhões e uma Kombi; todos encaminhados para um pátio e carregados com milhares de caixas de madeira. Além disso, 21 pessoas, entre motoristas e outras pessoas responsáveis pelas irregularidades, foram conduzidos para o Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), da Polícia Civil, onde será instaurado inquérito.

Em nota divulgada pela Prefeitura, serão responsabilizados também os proprietários dos imóveis que permitem "essas verdadeiras fábricas e consertos de caixas nas suas calçadas". Um total de 27 trabalhadores foi identificado, todos vítimas da exploração de mão-de-obra, que resultará na aplicação, na abertura, por parte do Ministério do Trabalho, de processo para aplicação de sanções aos responsáveis pela exploração dos trabalhadores naquele local.

 

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente coletou amostras das caixas e abriu processo para apurar crimes contra o meio ambiente. A Secretaria de Vigilância, igualmente, coletou informações e provas e convocará os envolvidos, que poderão ser responsabilizados por crimes contra saúde pública. Agentes da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) e Guarda Ambiental notificaram os 21 responsáveis por crime ambiental, alocar entulhos na via pública, e cada um poderá ser multado em até R$ 13 mil.

 

A Prefeitura afirma que a Operação visa também combater o acúmulo de entulho e resíduos nas ruas; a origem não comprovada da madeira utilizada nas caixas e crime contra a saúde pública, pois as caixas deveriam passar por higienização adequada para eliminar fungos e se adequarem ao transporte de frutas, legumes e hortaliças.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
BlitzCeagespsujeiraGCMsonegação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.