Prefeitura desiste de faixa xadrez nos táxis

Governo cede à pressão de motoristas e nova 'identidade visual' passa a ser opcional

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2012 | 03h03

Durou menos de um ano a tentativa da Prefeitura de São Paulo de dar uma nova identidade visual aos táxis da capital. A gestão Gilberto Kassab (PSD) cedeu às pressões dos taxistas e tornou facultativa a obrigação dos carros novos de colocar faixas quadriculadas nas laterais.

A chamada "nova identidade visual" dos táxis havia sido determinada por uma portaria do Departamento de Transportes Públicos (DTP), em 22 de agosto do ano passado. Ela seria obrigatória para os táxis que estavam sendo acrescidos à frota da cidade (eram 1.200, naquela época). Mas os taxistas antigos que trocassem seus veículos por novos só receberiam autorização para circular se também tivessem a nova sinalização.

Agora, segundo nota da Secretaria Municipal de Transportes, o uso das faixas será facultativo - o taxista só coloca se quiser. "A medida resultou de estudos feitos com base em solicitações dos taxistas", diz o texto. A Prefeitura não informou, no entanto, o que mudou agora - na época em que a medida foi adotada, também havia estudos como base para as regras.

Além das faixas quadriculadas, os táxis tinham de ter as inscrições "Táxi SP" e "Comum" nas portas, o número de inscrição e o telefone de reclamações da Prefeitura, 156. Taxistas disseram que o fim das faixas estaria em uma portaria a ser publicada na edição de hoje do Diário Oficial da Cidade. Mas a Prefeitura não confirmou a data.

O uso das faixas nunca foi consenso entre os taxistas, segundo o presidente do sindicato, Natalício Bezerra. "Tinha gente que não se importava, mas muitos não gostavam. Já fizemos várias reuniões com a Prefeitura por causa disso", afirmou. "Quem quer manter as faixas vai manter. Quem não quer, não coloca. Os táxis já têm o letreiro luminoso e a placa vermelha para identificação. A população conhece, então não será prejudicada", argumenta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.