Prefeitura derruba imóveis na Cracolândia

No local, 23 empresas devem se instalar e receber incentivos fiscais por investimento na região

Humberto Maia Junior, do Estadão,

26 de outubro de 2007 | 18h31

Eram 15h56 desta sexta-feira, 26, quando o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), moveu a alavanca da retroescavadeira - com a ajuda de um operário - para a demolição do imóvel 381 da Rua General de Couto Magalhães, no centro. Foi a primeira ação fora de um gabinete para transformar a região, conhecida como Cracolândia pela presença de traficantes, na Nova Luz.   Cinco imóveis serão demolidos. Segundo o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, as demolições devem terminar até o final de fevereiro do ano que vem. No local, serão instaladas uma unidade da Companhia de Processamento de Dados do Município (Prodam) e alguma subprefeitura, ainda não definida. "Talvez a Subprefeitura da Sé", disse Matarazzo.   No evento, foram anunciadas as 23 empresas - de tecnologia, call center, cultura e publicidade - que vão se instalar na área. Essas empresas apresentaram os projetos para abrirem escritórios no local e vão receber os benefícios fiscais dados pela Lei 14.096, de dezembro de 2005. Entre os ganhos, desconto de 50% do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e abatimento de 60% do Imposto sobre Serviços (ISS), cuja alíquota cai para 2%.   As empresas também poderão receber créditos de até 80% do valor do investimento no imóvel. Eles serão convertidos em um Certificado de Incentivo ao Desenvolvimento (CID) e poderão ser usados para mais descontos no IPTU, ISS e na compra de Bilhete-Único para os funcionários. Para definir o valor do crédito, serão levados em conta quanto será investido e o tipo de negócio. Os critérios serão definidos até o final do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.