Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Prefeitura de SP inaugura abrigo emergencial de inverno para 460 moradores de rua

Serão 400 vagas para homens e 60 para mulheres no Canindé, zona norte da cidade

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2017 | 17h24

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo inaugurou nesta quarta-feira, 19, um abrigo emergencial de inverno para moradores de rua. O espaço terá 460 vagas - 400 para homens e outras 60 para mulheres e funcionará por 40 dias em um espaço na Rua Comendador Nestor Pereira, 75, no Canindé, zona norte de São Paulo. Na terça-feira, 18, após a cidade ter a segunda tarde mais fria dos últimos 13 anos, um morador de rua foi encontrado morto na zona oeste

O abrigo é parte de uma ação anunciada pela Prefeitura chamada de Programa Emergencial de Inverno (PEI), que deve oferecer até 1.000 vagas. A administração do espaço ficará por conta da Igreja Adventista e os materiais a ser utilizados serão todos doados por empresas. Serão oferecidos cobertores, travesseiros e meias no local. 

A unidade foi equipada com beliches novos e vai funcionar, diariamente, das 19h às 8h. Os moradores terão acesso a banheiros equipados com chuveiros com água quente, vasos sanitários e área para refeições, com café da manhã e jantar.

Os usuários poderão ser encaminhados pelos serviços especializados de abordagem social da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) para serviços da rede de proteção social. Há hoje 10 mil vagas fixas em moradias da Prefeitura, além de 1,4 mil criadas para a Operação Baixas Temperaturas.

A Prefeitura também fará ações emergenciais para distribuição de cobertores, roupas e alimentação. Segundo o governo municipal já foram entregues mais de 1 mil cobertores na madrugada desta quarta-feira.

Morte. Um homem de cerca de 45 anos, não identificado, foi encontrado morto no final da tarde desta terça-feira, 19, no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Por volta das 16h30, a Polícia Militar recebeu, através do telefone 190, a informação de que um corpo estava desde o início do dia sobre a calçada do cruzamento entre a Rua Teodoro Sampaio e a Avenida Doutor Arnaldo.

Ele não apresentava sinais de violência, o que indica que pode ter sido vítima do frio que atinge a cidade desde a madrugada de terça. A perícia da Polícia Civil foi acionada, e o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). Não há confirmação da causa da morte.

Esta é a segunda suspeita de morte de morador de rua causada pelo frio na capital paulista em 2017, segundo os registros policiais. No dia 10 de junho, um homem em torno de 50 anos foi encontrado morto, com sinais de hipotermia, na região do Belém, na zona leste. Em 2016, houve registro de ao menos cinco casos, segundo a Pastoral do Povo da Rua.

Mais conteúdo sobre:
Prefeitura de São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.