ANDRÉ LESSA/ESTADÃO
ANDRÉ LESSA/ESTADÃO

Prefeitura de SP estuda tornar eletrônico serviço da zona azul

Mudança é defendida pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto; ideia é usar parquímetro ou aplicativo

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

14 Dezembro 2015 | 12h06

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo estuda dar fim ao uso de cartão impresso de estacionamento para zona azul. A ideia é lançar, até o ano que vem, um edital que vai tornar eletrônico o serviço nas ruas da capital. 

De acordo com o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, o projeto está pronto e será apresentado ao prefeito Fernando Haddad (PT). Nesta segunda-feira, 14, Tatto disse que falta definir o modelo a ser utilizado. "Temos que tornar a zona azul eletrônica. Ou através do parquímetro ou através de aplicativo", afirmou. 

Tatto disse que há uma lei de concessão de parquímetro que prevê a instalação do equipamento para modernizar a zona azul. "Na cidade de São Paulo, pelo porte dela, nunca se pensou em fazer uma coisa mais arrojada. Mas não é problema de legislação. Enquanto a cidade estava mudando em termos de faixa de ônibus exclusiva e ciclovia, nós começamos a preparar um projeto básico disso", disse o secretário.  
Segundo Tatto, a Prefeitura já chegou a detectar fraude na impressão do cartão impresso e a polícia foi acionada para investigar. "Está bastante avançada a ideia porque a fraude é grande, desde a impressão do talão até a venda do ponto a ponto", destacou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.