Jéssica Dalla Torre/Reprodução/Facebook
Jéssica Dalla Torre/Reprodução/Facebook

Prefeitura de SP empareda casa noturna LGBT na rua Frei Caneca

Boate voltada para o público gay existe há 22 anos; direção do espaço admite que estava com a documentação vencida

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

09 Julho 2017 | 14h33

A Prefeitura de São Paulo fechou neste sábado, 8, a boate "Alôca", voltada para o público LGBT, na Rua Frei Caneca, no centro da capital.  A entrada foi fechada com tijolos, além de multada e intimada. A casa noturna fica próxima à esquina da Rua Peixoto Gomide e existe há 22 anos. 

De acordo com o prefeito regional da Sé, Eduardo Odloak, a boate não tinha licença de funcionamento, era uma das "recordistas de reclamação" e não respeitava a acústica e o entorno. Ele disse ainda que a casa pode voltar a funcionar após "adequação correta".

Em vídeo, Odloak justificou a ação.  "Nesse caso em especial, a casa colocava DJ e música do lado de fora da casa, colocava até som do lado de fora, fazendo com que a vida dos moradores do entorno se tornasse um verdadeiro inferno", afirmou.

 


 

Segundo Odloadk, a rua Peixoto Gomide - próxima à casa noturna - é uma das vias campeãs de reclamação de moradores da região central. "Este é um dos pontos em que estamos intensificando a fiscalização porque torna a vida dos moradores do entorno em um grande inferno", disse. 

A casa se manifestou pelo Facebook, admitindo "documentação vencida" e prevendo a reabertura do espaço na próxima semana.

"Notificamos nossos amigos e clientes que esta semana não abriremos por motivo de interdição da Prefeitura por documentação vencida. Sendo assim, nossa equipe já está trabalhando para abrirmos na próxima semana adequadamente", afirmou a direção da boate Alôca. "É chato ver Aloca lacrada e também um ou outros fazendo piadinha".

Mais conteúdo sobre:
Rua Frei Caneca [São Paulo]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.