Prefeitura de SP divulga datas de pagamento do IPTU com alta de 9,5%

Boletos de cobrança começam a ser enviados pelo correio dia 14. Contribuinte que optar por pagamento à vista terá 5% de desconto

O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2016 | 19h02

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo começa a enviar no próximo dia 14 os boletos do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2016 com reajuste de 9,5% no valor do metro quadrado do terreno ou construção, que serve como base de cálculo do valor venal do imóvel. O índice está abaixo da inflação oficial prevista em 2015, de 10,72%.

Segundo a Secretaria Municipal de Finanças, o IPTU lançado em 2016 será apurado a partir desses valores venais e poderá resultar em índice de reajuste diferente, com os limites de 10% sobre o valor lançado em 2015 para os imóveis residenciais e de 15% para os demais imóveis.

O calendário com as datas de recebimento e pagamento do imposto foi divulgado pela gestão Fernando Haddad (PT) nesta quarta-feira, 6, no site www.prefeitura.sp.gov.br/iptu. As correspondências devem chegar aos contribuintes entre os dias 19 de janeiro e 16 de fevereiro. Os pagamentos estão programados para ocorrer a partir de 1º de fevereiro.

O contribuinte que optar por pagar o IPTU à vista, em parcela única, terá 5% de desconto. A outra opção é parcelar o pagamento em até 10 vezes. Essa escolha é feita no pagamento da 1ª parcela. Neste caso, os boletos das parcelas seguintes terão vencimento no dia escolhido pelo contribuinte ou no dia 9 de cada mês, se o contribuinte não fez nenhuma escolha.

Quem não receber o boleto até 7 dias antes do vencimento, deverá emitir a 2ª via pela Internet ou solicitá-la na subprefeitura da região do imóvel cadastrado. O pagamento pode ser feito pela internet, no site dos bancos conveniados; em caixas de autoatendimento ou nas agências bancárias.

No caso de vencimento, o pagamento de parcela com atraso terá multa de 0,33% ao dia até o limite de 20%. A partir do mês seguinte ao do vencimento, serão cobrados ainda juros de mora de 1% ao mês e atualização monetária. De acordo com previsão aprovada pela Câmara Municipal, a cidade deve arrecadar cerca de R$ 900 milhões com IPTU neste ano. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.