Prefeitura de São Paulo quer elevador em moradias populares

Haddad tenta convencer governo federal a autorizar empreendimentos do Minha Casa Minha Vida com elevadores

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2014 | 21h30

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) está tentando convencer o governo federal a autorizar empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida com elevadores, o que aumentaria o número de unidades por conjunto.

A gestão promete entregar, até o final do mandato, em dezembro de 2016, 55 mil moradias populares. Do total de unidades habitacionais prometidas pela Prefeitura, cerca de 90% deverão ser viabilizadas por meio do programa federal.

Na tarde desta sexta-feira, 15, Haddad se encontrou com Inês Magalhães, secretária de Habitação do Ministério das Cidades, para tratar do tema. Mais cedo, em entrevista concedida durante evento de entrega de conjunto habitacional em Heliópolis, na zona sul da capital, o prefeito defendeu a mudança no tamanho dos edifícios populares.

“Vamos reivindicar poder aumentar os prédios de quatro para oito andares, com uso de elevadores”, disse ele. “É para garantir que, com a terra disponível, a gente consiga produzir o número de moradias necessárias para resolver o déficit habitacional. Não tem sentido São Paulo manter um padrão de quatro pavimentos”, defendeu o prefeito.

Para Haddad, a mudança teria pouco impacto financeiro para os moradores e otimizaria os projetos municipais. “Aumenta menos de R$ 40 por mês para o condomínio, a terra é muito mais cara do que isso. Vale muito mais a pena construir um pavilhão do que construir quatro, porque o custo do elevador é muito menor do que o da terra”, disse ele.

Segundo a Secretaria Municipal da Habitação, a Prefeitura já entregou, desde o início da gestão Haddad, 2,6 mil moradias. A pasta diz que já há terrenos disponíveis para a construção de mais de 93 mil moradias.

Desse total, além das 2,6 mil entregues, 13 mil estão em obras, 58 mil estão contratadas ou prestes a serem iniciadas e outras 20 mil estão em fase de aprovação ou elaboração de projeto. De acordo com a secretaria, caso a inclusão de elevadores seja autorizada, ela só valeria para os novos projetos.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Minha Casa Minha Vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.