Prefeitura de São Paulo investiga contrato com a Finatec

A fundação teria gasto R$ 470 mil para a compra de um carro de luxo e para decorar o apartamento do reitor da UnB

Da Redação,

23 de fevereiro de 2008 | 23h42

A prefeitura da cidade de São Paulo emitiu nota neste sábado, 23, para informar que a corregedoria do município investigará contrato entre a Secretaria Municipal de Ação e Desenvolvimento Social e a Finatec, fundação ligada à Universidade de Brasília (UnB) que está sob intervenção por suspeita de práticas irregulares.   De acordo com a nota, a fundação teria  revelado "práticas irregulares em contrato firmado com a municipalidade na gestão anterior".   Entre as atividades da fundação sob investigação do ministério público, estão um gasto R$ 470 mil para a compra de um carro de luxo e para decorar o apartamento do reitor da UnB, Timothy Mulholland.   A lista de compras inclui três lixeiras por R$ 2.738, equipamentos de TV e som por R$ 36.603, quadros por R$ 21.600 e 16 vasos de plantas por R$ 7.264.   Depois da denúncia de que houve uso indevido de recursos públicos, o reitor deixou o imóvel.

Tudo o que sabemos sobre:
finatecunbkassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.