Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Prefeitura de São Paulo com Haddad cria 4,8 km de ciclovias em dois dias

Novos equipamentos exclusivos para bicicletas foram instalados entre Santa Cecília e Barra Funda (2,4 km) e na zona sul (2,4 km)

RAFAEL ITALIANI, O Estado de S. Paulo

11 Agosto 2014 | 02h01

SÃO PAULO - Em dois dias a Prefeitura instalou 4,8 quilômetros de ciclovias em São Paulo. No sábado, 9, a quarta etapa da faixa do centro histórico foi entregue pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

O trecho de 2,4 quilômetros interliga os bairros da Santa Cecília, na região central, e Barra Funda, na zona oeste. Ela começa na esquina da Avenida Pacaembu com a Rua Barra Funda e termina na Estação Júlio Prestes da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), na Cracolândia.

Um dia antes, outros 2,4 quilômetros de ciclovias já haviam sido entregues na zona sul. Passando por bairros como Chácara Santo Antônio e Alto da Boa Vista, o trecho liga a Avenida Alexandre Dumas à Estação Granja Julieta, da Linha 9-Esmeralda da CPTM.

Com as duas entregas, sobe para 16,4 quilômetros a quantidade de ciclovias entregues pela gestão Fernando Haddad (PT) em 2014. O ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), entregou um total de 60 quilômetro. Até o fim de agosto, a capital vai ganhar mais 30,6 quilômetro.

No site da Prefeitura é possível ver as próximas entregas. Na região central, por exemplo, vias como o Viaduto do Chá e as Ruas Boas Vista e Libero Badaró vão receber as vias.

Também estão programadas outras ciclovias na zona oeste de São Paulo, como nas Avenidas Sumaré, Paulo IV e Escola Politécnica

Programa de metas. O compromisso do prefeito Haddad é entregar, até o fim deste ano, mais 200 quilômetros de vias para bicicletas em São Paulo.

Há uma semana, durante a inauguração de um trecho de ciclofaixa no Tatuapé, na zona leste, Haddad afirmou vai intensificar a implementação das faixas. Segundo, ele a intenção é entregar uma média de 10 quilômetros de ciclofaixas por semana.

A meta da administração municipal são 400 quilômetros. O programa vai custar R$ 80 milhões e acabar com até 40 mil vagas de estacionamento. Haddad e Tatto avaliam que o ideal seria a cidade ter mil quilômetros de vias exclusivas para a bicicleta. Para a Prefeitura, esse é o número necessário para atender a cidade, que hoje tem 17 mil quilômetros de ruas e avenidas.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Ciclovias Fernando Haddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.