Prefeitura começa a renovar contratos de ônibus

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou que já mandou comunicados às empresas e cooperativas solicitando que procurem a administração municipal

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2013 | 15h22

SÃO PAULO - Os contratos de dez anos com as empresas e cooperativas de ônibus da capital paulista começam a vencer nesta semana. Eles serão renovados por até um ano, para que o serviço continue funcionando normalmente. O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou nesta quarta-feira, 17, que já mandou comunicados às empresas e cooperativas solicitando que procurem a Prefeitura para assinarem o aditamento dos contratos.

A perspectiva é que os documentos comecem a ser assinados nos próximos dias. Os custos de operação do sistema de transporte público é de R$ 6 bilhões ao ano. Deste total, a Prefeitura deve pagar neste ano R$ 1,425 bilhão, o maior subsídio da história da cidade para o setor.

Tatto afirmou que os contratos valerão por até um ano. Quando a nova licitação do serviço de ônibus, cancelada em junho pelo prefeito Fernando Haddad (PT), voltar a vigorar, os atuais contratos, assinados em 2003, serão imediatamente findados, passando a vigorar os novos.

A declaração foi feita durante reunião do Conselho da Cidade de São Paulo, na sede da Prefeitura, no centro. Na ocasião, está previsto o lançamento do Conselho Municipal de Trânsito e Transportes, à qual será submetida a discussão sobre a nova licitação.

Haddad disse que a estrutura desse conselho, que terá 39 membros (13 da sociedade civil, 13 vindos do setor de transportes e 13 da própria Prefeitura).

"Não vai se chegar a um consenso sobre o melhor formato", disse Haddad, acrescentando que o conselho poderá "opinar" e "sugerir reformulação" da estrutura do conselho.

O prefeito falou ainda que a questão do preço da tarifa de ônibus "é uma preocupação nacional, porque as prefeituras se encontrarão, mais dia menos dia, insolventes". "Temos um longo caminho pela frente sobre o transporte público", afirmou o petista.

A primeira reunião do conselho de transportes deve ser na quarta-feira que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.