Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Prefeitura anuncia vencedores da licitação da varrição e prevê economia

Área estava sem contrato desde 2014 e desde então vinha sendo prorrogado por prefeitos. Gestão Covas diz que acordo traz melhorias para o serviço de limpeza urbana

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2019 | 20h11

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo anunciou neste sábado, 9, os vencedores da licitação para os contratos de varrição na cidade. Desde 2014, o contrato havia encerrado e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) e o atual prefeito, Bruno Covas, haviam prorrogado o acordo para não interromper o serviço de limpeza. A administração municipal estimou em R$ 14,5 milhões a economia mensal, chegando a R$ 524,8 milhões nos três anos de contrato, mas não divulgou o valor global.

A licitação foi acompanhada pelo Tribunal de Contas do Município e pelo Ministério Público.  Em janeiro, a Justiça chegou a proibir o prosseguimento do certame a pedido de uma das empresas interessadas, mas liberou a disputa três dias depois. O Estado mostrou em dezembro que a economia gerada pelo novo contrato chegou a causar estranheza em um promotor, já que supostamente levantaria suspeita sobre os valores anteriormente praticados.

Segundo a Prefeitura, o que permitiu a economia foi um novo patamar de competitividade. “Com a estratégia de dividir a cidade em seis lotes e somente uma empresa ou consórcio trabalhar em cada um, abre-se um aumento de competitividade. Logo, conseguimos ampliar a concorrência para mais empresas e, assim, garantir o melhor preço, junto com qualidade de serviço. A Amlurb recebeu 18 propostas e hoje estamos anunciando as seis vencedoras. É um resultado extremamente significativo para a cidade de São Paulo” disse Edson Tomaz de Lima Filho, presidente da autarquia, em nota distribuída pela Prefeitura.

A gestão Covas disse que, ao todo, foram 35 dias de análise das documentações recebidas no processo licitatório, no qual a Comissão Especial de Licitação (CEL) iniciou na sexta-feira, 8, o julgamento dos documentos de habilitação dos envelopes abertos na sessão pública realizada nos dias 18 de janeiro e 25 de fevereiro. “Na análise em questão, foram levadas em consideração todas as exigências propostas no edital como habilitação jurídica, regularidade fiscal e trabalhista, qualificação econômica e financeira, qualificação técnica, Recursos materiais – equipamentos, equipamentos e pessoal.”

A Prefeitura diz que o contrato traz melhorias na execução dos serviços de limpeza urbana. “O edital prevê a inclusão da destinação final dos resíduos, triagem e tratamento adequado, como, por exemplo, enviar os recicláveis às cooperativas e às centrais mecanizadas. Assim como a operação de pátios de compostagem, aumento de varrição mecanizada, fiscalização/monitoramento com utilização de ferramentas de tecnologia e a utilização desses dados para melhoria da gestão de resíduos.”

Empresas vencedoras por lote:

Lote I – Corpus Saneamento e Obras LTDA

Lote II – Sustentare Saneamento S/A

Lote III – Consórcio Locat SP

Lote IV – Consórcio Limpa SP

Lote V – Consórcio SP Mais Limpa

Lote VI – Consórcio Ecoss Ambiental

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.