Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Prefeitura anuncia fechamento do Minhocão aos sábados

Bloqueio será feito das 15 horas de sábado às 6h30 de segunda-feira, de forma permanente; decisão foi tomada após dois testes

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

06 Julho 2015 | 17h57

Atualizada às 21h08

SÃO PAULO - Pedestres, ciclistas e skatistas ganharam mais uma área de lazer para circular nas tardes de sábado na capital. A Prefeitura anunciou nesta segunda-feira, 6, o fechamento definitivo para automóveis do Elevado Costa e Silva, o Minhocão, na região central, aos sábados. A abertura da via para a população, que ocorria a partir das 21h30 de sábado, será antecipada para 15 horas. A reabertura ao trânsito de veículos continuará sendo feita às 6h30 das segundas-feiras. A mudança começa a valer no dia 11. 

Após fazer dois testes – durante a Virada Cultural, no dia 20, e no fim de semana passado –, a Companhia de Engenharia do Tráfego (CET) publicou nota nesta segunda informando que estudos técnicos “indicaram que o trânsito na região transcorreu dentro da normalidade, bem como o serviço de transporte coletivo”.

O engenheiro de Transportes Horácio Augusto Figueira comemorou a decisão e sugere que a Prefeitura realize novos testes também durante a semana. “Precisamos quebrar paradigmas. Agora é o sábado, depois fazemos testes em dias úteis. Fecha por 24 horas e vê como reage o trânsito. O motorista pode ir de metrô, pegar carona, mudar o caminho.”

Favorável à demolição do Elevado, o especialista afirma que o reflexo para o trânsito da região será pequeno e que há rotas alternativas ao Minhocão para o motorista, como a Marginal do Tietê e a Avenida Marquês de São Vicente. “O impacto será maior no primeiro sábado. No segundo, o motorista já seguirá por caminhos alternativos. Daqui a três meses ninguém estará mais falando nisso”, afirmou Figueira. 

O diretor do movimento Desmonte Minhocão, Francisco Gomes Machado, que também é a favor da demolição do Elevado, acredita que o fechamento para automóveis aos sábados pode provocar engarrafamentos na região e se transformar em mais uma fonte de poluição.

“Os motoristas necessariamente vão se aglomerar um pouco embaixo e vai aumentar o efeito tampa de panela, que impede a dispersão pelo ar dos gases poluentes.” Mesmo assim, Machado, que é morador da região, diz que a decisão da Prefeitura será um teste positivo, ainda mais se a CET concluir que o Minhocão não é mais necessário para São Paulo. 

Regras. Um dos idealizadores da Associação Parque Minhocão, o empresário Athos Comolatti elogia a decisão da Prefeitura e defende que seja criado um regulamento para orientar os frequentadores sobre os usos e as restrições do Minhocão. “Precisaremos de regras. Tenho a impressão de que o número de usuários no Minhocão aumentou, assim como o de eventos. Não faz sentido todo fim de semana ter eventos. É questão de bom senso. O ponto fundamental é usar a área como lazer.” 

Nos primeiros meses, período de adaptação, agentes da CET estarão na região do Elevado para orientar os motoristas sobre rotas alternativas. O monitoramento da CET pode resultar em ajustes nas sinalizações vertical e horizontal e também nos semáforos.


Mais conteúdo sobre:
São PauloMinhocão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.