Prefeito quer aumentar para 10% a coleta seletiva

O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou ontem que quer aumentar a proporção de lixo reciclado em São Paulo para 10%. Atualmente, a média de lixo que chega às centrais de triagem é de 1,2%. O bairro que mais recicla na cidade, a Vila Mariana, na zona sul, chega a 4,95%.

O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2013 | 02h00

"Oito anos atrás, a administração de São Paulo adiou o investimento em coleta seletiva. Vamos retomar os investimentos para antecipar aquilo que já deveria ter sido feito", disse Haddad.

De acordo com o prefeito, o assunto deve ser tratado em breve com as duas concessionárias que atuam no setor na cidade - a Ecourbis e a Logística Ambiental (Loga).

A coleta seletiva vem sofrendo atrasos desde dezembro, segundo concessionárias que realizam o serviço na cidade. As centrais de triagem, que recebem o material, estão lotadas e algumas delas ainda pararam para a folga de fim de ano. Segundo a Prefeitura, as cooperativas não estão conseguindo dar vazão ao material porque dependem das indústrias de reciclagem, que têm comprado pouco.

Moradores de bairros atendidos pela coleta seletiva afirmaram que os sacos com lixo reciclável amanheceram ontem na rua. Ao ligarem para as concessionárias, segundo eles, foram aconselhados a jogar o material que separaram no lixo comum.

A Ecourbis, responsável pelas zonas sul e leste, afirma que o serviço só voltará ao normal quando as centrais de triagem passarem a trabalhar em plena capacidade. Já a Loga afirma que normalizou a coleta, desviando os caminhões para cooperativas que estão funcionando.

Piscinão. As afirmações do prefeito foram feitas em encontro com o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), no segundo câmpus da Universidade Federal do ABC (UFABC). Um dos principais assuntos do encontro foi o pedido feito pelo prefeito de São Bernardo para que a capital ceda um terreno ao governo do Estado para a construção do Piscinão Jaboticabal. "O Marinho pediu para a gente retornar isso que está parado", disse Haddad.

Segundo Marinho, a obra pode ajudar a resolver o problema de enchentes no quilômetro 10 da Rodovia Anchieta.

Outra questão abordada pelo prefeito da cidade do ABC é a unificação de tarifas do transporte coletivo. / ARTUR RODRIGUES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.