Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Prefeito é acusado de fraudar licitações em Ferraz de Vasconcelos

Ao lado de secretário e ex-prefeito, Acir Filló dos Santos (PSDB) teria montado esquema que causou prejuízo de R$ 15 mi aos cofres

Alexandre Hisayasu, O Estado de S. Paulo

04 de dezembro de 2015 | 11h35

Atualizada às 19h30

SÃO PAULO - Promotores do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriram, nesta sexta-feira, 4, mandados de busca e apreensão na prefeitura de Ferraz de Vasconcelos, na região metropolitana, e também nas casas do prefeito Acir Filló dos Santos (PSDB), do secretário municipal de serviços urbanos, Franco Douglas Lima Dias, e em residências de empresários ligados aos políticos. 

Todos são acusados de montar uma quadrilha para fraudar licitações e lesar os cofres públicos em pelo menos R$ 15 milhões. Policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) deram apoio à operação. 

A Justiça determinou a apreensão de documentos, computadores, relógios, joias, dinheiro, carros e todos os bens adquiridos com dinheiro supostamente ilícito na residência dos suspeitos. Na casa do prefeito, foram apreendidos cerca de R$ 7 mil em dinheiro.

Na casa da secretária de segurança e mobilidade, Elizabeth Soliman Evangelista, foi apreendida uma arma sem registro. Ela, que é sogra de Lima Dias e coronel da Polícia Militar aposentada, foi levada à delegacia da cidade para o registro do caso.

Segundo as investigações, a empresa Nova Opção Serviços de Limpeza foi criada um mês depois da eleição do prefeito e firmou contrato emergencial com a prefeitura, em janeiro de 2013, que deixou de pagar a empresa anterior emitindo cheques sem fundos e cancelando o contrato. 

Os promotores suspeitam que a Nova Opção foi criada pelo próprio secretário Lima Dias, que teria colocado um casal de amigos como laranjas do esquema. Dias financiou a campanha do atual prefeito e tem passagem na polícia por tráfico de drogas, clonagem de cartões e associação para o tráfico. Segundo o Gaeco, Lima Dias tem um salário mensal de R$ 11 mil e mora em uma casa, em Arujá, avaliada em R$ 2,5 milhões. Ele não foi localizado para comentar as acusações.

Em nota, a prefeitura de Ferraz de Vasconcelos informou que "o corpo jurídico vai analisar o processo e impetrar os recursos judiciais necessários, para que o prefeito da cidade reassuma o cargo. Neste período quem assume o posto de administrador do município é o vice-prefeito José Izidro Neto." 

Acir dos Santos está com os bens bloqueados por causa da investigação.

Tudo o que sabemos sobre:
Ferraz de VasconcelosSão PauloPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.