Prefeito do município tido como mais violento contesta estudo

Segundo ele, números foram inflados por ocorrências do entorno de Salvador que foram registradas na cidade

ELIANA LIMA , ESPECIAL PARA O ESTADO, SALVADOR, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2011 | 03h04

O prefeito de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, José Eduardo Alencar (sem partido), se disse "espantado" com o resultado do Mapa da Violência que coloca a cidade na liderança dos 67 municípios brasileiros médios e grandes com maiores taxas de homicídio. Segundo o estudo, Simões Filho, a quinta economia da Bahia, tem 146,4 homicídios por 100 mil habitantes.

"Não sei em que basearam essa pesquisa, mas esse resultado não reflete a realidade na nossa cidade e não bate com os números da Secretaria de Segurança Pública do Estado", afirmou o prefeito de Simões Filho. Alencar acredita que parte da violência atribuída a Simões Filho deve-se à proximidade com Salvador, que fica a 30 quilômetros de distância. Segundo ele, muitas ocorrências no entorno da capital baiana são registradas na cidade vizinha.

Responsável pelo comando do policiamento ostensivo em Simões Filho, o capitão Jorge Ricardo Albuquerque acrescenta que, até o ano passado, vítimas de homicídio e de tentativas de homicídio em áreas de Salvador eram atendidas no Hospital de Simões Filho. "Esse instituto se baseia nas entradas hospitalares", afirma. Ele diz que entre 1.º de janeiro e 30 de novembro de 2010 foram registrados 92 homicídios na cidade, ante 70 no mesmo período deste ano.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia ressalta que foi registrada redução de 16% nas taxas de violência do Estado no primeiro semestre deste ano em relação a igual período de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.