TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Prefeito de São Paulo promete réveillon, carnaval e Lollapalooza para 2022

Durante apresentação do Plano de Metas na Câmara Municipal, Ricardo Nunes afirmou que capital paulista começará a reabrir quando 70% da população estiver vacinada

João Ker, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2021 | 19h19

O prefeito de São Paulo disse na tarde desta quinta-feira, 1º, que o calendário da capital paulista para o ano que vem já inclui eventos como o carnaval dos blocos de rua, réveillon, Lollapalooza e o desfile das escolas de samba no Anhembi. Durante cerimônia de apresentação do Plano de Metas para 2024, Ricardo Nunes afirmou que a cidade começará a reabrir quando 70% da população já estiver vacinada contra a covid-19.

"Pretendemos fazer um réveillon muito bacana, até porque todo mundo deve estar vacinado até o final do ano. Vamos começar a colocar nas pessoas o sentimento de que é importante você valorizar a vida", disse. Segundo Nunes, a expectativa da Prefeitura é de que 70% da população já esteja imunizada com a primeira dose até o final deste mês, quando pretende reabrir a Avenida Paulista, o parque do Anhangabaú e um "novo espaço que já tem o projeto finalizado". 

De acordo com dados da Secretaria Municipal da Saúde, 59,21% da população já recebeu a primeira dose de alguma vacina contra a covid-19. Já o percentual dos paulistanos com a imunização completa, seja pela segunda dose ou dose única, é de 19,46%. Epidemiologistas são unânimes em afirmar que é preciso ter o esquema vacinal completo para garantir a proteção contra o coronavírus. 

O prefeito afirmou ter participado nesta manhã de uma reunião sobre o carnaval de rua em 2022 e que, ainda nesta quinta, também discutiria o evento no sambódromo. Ele disse ainda que o calendário da capital para o próximo ano já inclui as comemorações ao centenário da Semana de Arte Moderna, ao bicentenário da Independência do Brasil, o festival Lollapalooza e o carnaval.

Segundo Nunes, todos os eventos fazem parte do plano da Prefeitura para a retomada econômica do município. "Na hora que voltar, teremos aquela necessidade natural de querer sair e se divertir. Mas chegando aos 70% das pessoas vacinadas, que deve ser agora no final de julho, vamos abrir o Anhangabaú, Paulista e uma outra área que já tem o projeto desenhado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.