Prédio segue o formato da bandeira

Um dos mais curiosos prédios de São Paulo é o Edifício Ouro Para o Bem de São Paulo, projetado pelo escritório de Armando Dumont Villares e Ricardo Severo no número 23 da Rua Álvares Penteado, no centro da capital.

/ RODRIGO BRANCATELLI, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2012 | 03h01

Em 1932, mulheres paulistas doaram suas alianças de casamento para o caixa militar da Revolução Constitucionalista. A campanha mobilizou toda a população do Estado, até mesmo os cidadãos mais humildes colaboraram. Aos que faziam donativos era conferido um diploma com a frase: "Dei Ouro para o Bem de São Paulo".

As doações dos paulistas foram tantas que, com o fim da revolução em três meses, o arrecadado acabou sendo enviado à Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Esse ouro foi então utilizado para a construção do edifício no centro de São Paulo, que foi construído exatamente com o formato da bandeira paulista tremulando, onde cada andar corresponde a uma das 13 listras.

O mastro, representando as alianças doadas, foi decorado com um capacete constitucionalista no topo. A execução do prédio em estilo art deco ficou a cargo da Cia. Construtora Camargo & Mesquita, que entregou a obra em 1939.

No acervo do Museu da Santa Casa, ainda estão os volumes com o nome de todos os doadores da campanha "Ouro Para O Bem De São Paulo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.