Prédio na zona sul terá 6 andares derrubados

Edifício na região da Aclimação foi feito acima do limite para o bairro e Justiça determinou derrubada de 17 metros

Luciano Bottini Filho, O Estado de S.Paulo

04 de dezembro de 2013 | 02h02

A Justiça de São Paulo mandou derrubar seis andares de um condomínio erguidos acima da altura máxima permitida na região do Parque da Aclimação, na zona sul de São Paulo. O empreendimento está em uma área limitada pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico de São Paulo (Conpresp) a edificações com no máximo 10 metros de altura, mas tem um gabarito de 27 metros.

A sentença, da qual cabe recurso, foi dada pela juíza Kenichi Koyama, da 13.ª Vara da Fazenda Pública, anteontem. A ação foi proposta em 2011 pela advogada Eliana Lucania de Almeida Alves, integrante do Conselho Gestor do Parque da Aclimação, contra a Construtora Atlântica, responsável pelo edifício. Em janeiro de 2012, a Justiça havia dado uma liminar para suspender as obras, mas o Tribunal de Justiça reverteu a decisão, contanto que a empresa divulgasse a existência do processo na publicidade do empreendimento, que continuou a ser comercializado. Segundo a advogada, o aviso não foi colocado, o que poderá render uma multa de até R$ 5 milhões.

Cada apartamento está avaliado em torno de R$ 700 mil, mas o edifício não tem Habite-se. Procurada pelo Estado, a Atlântica não respondeu.

Erro, Ministério Público Estadual (MPE) também entrou com uma ação para embargar a obra. A Justiça reuniu os dois processos em agosto de 2012.

A sentença anula todos os alvarás concedidos pela Prefeitura. Segundo a juíza, "a própria Municipalidade admitiu o erro cometido na concessão dos alvarás, que afirmou poder reverter por meio de procedimento administrativo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.