Vivi Zanatta/AE
Vivi Zanatta/AE

Prédio de Lula é assaltado em São Bernardo

Quatro homens renderam morador, entraram com ele pela garagem e levaram R$ 8 mil; até a noite de ontem, ninguém havia sido preso

Josmar Jozino, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2010 | 00h00

O prédio onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem apartamento, na Avenida Prestes Maia, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, amanheceu com a segurança reforçada ontem. Na manhã anterior, o edifício foi alvo de quatro assaltantes. Os ladrões dominaram um morador do 9.º andar antes de ele entrar no edifício e roubaram R$ 8 mil. Até a noite de ontem, ninguém havia sido preso.

Funcionário do setor de finanças da Secretaria Municipal de Esportes da prefeitura de São Bernardo do Campo, Valdeci da Rocha, de 44 anos, estava com seu motorista na Rua Anunciata Gobbi, na manhã de anteontem, quando seu Polo foi abordado por um Corsa preto e uma Saveiro vermelha. Dois dos quatro assaltantes usavam camisetas com inscrições da Polícia Civil.

Rocha foi obrigado a descer de seu carro e a entrar em um dos veículos dos criminosos. Ele foi levado por dois ladrões para o prédio na Avenida Prestes Maia. Durante o trajeto, os assaltantes mostraram um cinturão para Rocha e disseram que era uma bomba. Também ameaçaram matar os filhos dele e seu motorista, caso não lhes desse dinheiro.

Enquanto isso, o motorista de Valdeci da Rocha ficou em poder dos outros dois integrantes do bando. Os ladrões não tiveram dificuldade para entrar na garagem do edifício. Um porteiro viu Rocha no carro dos criminosos, mas pensou que ele estava com amigos. Os assaltantes pegaram o elevador com a vítima e subiram até o 9.º andar, apenas três abaixo da cobertura do presidente Lula.

Cofre. O apartamento de Rocha foi revirado. Os assaltantes mexeram em gavetas e armários. A quadrilha vasculhou até o guarda-roupa. Os ladrões procuravam um cofre. Ameaçada de morte, a vítima entregou aos bandidos os R$ 8 mil que guardava no imóvel.

Os ladrões voltaram com Rocha para a garagem, entraram no mesmo veículo e seguiram ao local onde o motorista da vítima era mantido refém. Patrão e empregado foram abandonados minutos depois em uma estrada de São Bernardo do Campo. O roubo foi registrado no 1.º Distrito Policial da cidade.

Sigilo. A Polícia Civil tentou manter o assalto sob sigilo, já que se tratava de uma invasão ao prédio no qual o presidente Lula tem sua residência. O caso foi revelado ontem à noite no Jornal da Band, da TV Bandeirantes. A polícia ainda não tem pistas dos criminosos.

Ainda traumatizado por causa das ameaças, Rocha disse que um dos carros dos criminosos tinha sirene. Ele contou que os ladrões estavam armados de pistolas e dois deles usavam camisetas pretas com a inscrição "polícia" em letras brancas.

Rocha acrescentou que não está bem de saúde e continua abalado. À polícia, ele afirmou ter reconhecido dois dos ladrões, que lhe teriam roubado em uma ação em 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.