Preço de aparelhos que liberam cancelas de pedágio deve cair

Mecanismo que libera cancelas de pedágio virará um adesivo, cujo custo de produção é menor do que o do dispositivo atual

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

25 Agosto 2014 | 19h54

SÃO PAULO - Até o fim do ano, deve baixar o preço dos aparelhos eletrônicos que liberam as cancelas dos pedágios para carros conveniados a alguma operadora. A promessa da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) é que, ainda em 2014, o valor do tag (dispositivo colado no para-brisa do automóvel) à disposição dos motoristas cairá dos atuais R$ 15 para R$ 2. Isso porque um novo equipamento, menor e feito como uma espécie de etiqueta, tem custo de produção mais baixo.

Atualmente, o tag é vendido somente em forma de caixinha, uma estrutura maior do que o futuro adesivo, chamado de "sticker tag". Dependendo do plano escolhido pelo consumidor, o custo do aparelho já vem embutido no pagamento da mensalidade, por meio de uma consignação. Contudo, em outros casos, é necessário que o condutor pague pelo tag utilizado em seu veículo.

"Além do tag que temos hoje, o 'sticker tag' até o final do ano deverá estar em comercialização", disse nesta segunda-feira Karla Bertocco Trindade, diretora-geral da Artesp. O dispositivo será vendido por todas as quatro operadoras de pagamento de pedágio eletrônico em funcionamento no Estado: Sem Parar, Auto Expresso, ConectCar e Move Mais - esta última começa a funcionar no próximo dia 1.º.

Segundo Trindade, o custo do dispositivo será reduzido "drasticamente" com os adesivos. "O 'tag' anterior, aquele grande, custava em torno de US$ 25. Esse segundo que a gente está trabalhando hoje fica na faixa de R$ 15, ou seja, US$ 7. A expectativa é de que o 'sticker' chegue em torno de R$ 2."

Modelos em avaliação. A Artesp não informou quando esse novo equipamento deverá passar a ser vendido ao grande público. De acordo com a agência reguladora, que é controlada pelo governo do Estado, existem alguns modelos em estudo. "Vai depender dos fabricantes e do desenvolvimento do produto final", afirmou Giovanni Pengue Filho, diretor de operações da Artesp sobre o prazo para o início das vendas.

Trindade explicou que todas as operadoras de pagamento eletrônico de pedágio poderão vender o "sticker tag". "Vai ser aberto para todo o mundo e a tendência é que quem começar a vender primeiro ganhe o mercado, porque é mais barato."

Hoje em dia, cerca de 3,5 milhões de "tags" já estão em operação em território paulista, conforme estatísticas da Artesp. O órgão informou ainda que mais da metade - 56% - dos pagamentos nas praças de pedágios do Estado é realizada por meio do mecanismo eletrônico. O restante ainda é pago manualmente.

Mais conteúdo sobre:
tag pedágio preço

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.