Preço alto tira família de casa

A comerciante Rosária dos Santos, de 50 anos, chegou a fazer planos de aumentar os lucros por causa da inauguração da Estação Faria Lima da Linha 4-Amarela. A nova saída do metrô fica a cerca de 40 metros da casa em que vive com dois filhos e o marido e onde transformou a garagem em uma papelaria (a máquina de xerox é a principal atração).

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2010 | 00h00

Mal sabia ela que o proprietário do imóvel também pretende ganhar dinheiro e por isso ela vai precisar mudar-se dali. "E também da região, porque não dá mais para alugar uma casa por aqui. Os preços estão absurdos em Pinheiros", diz a comerciante. Há um mês, ela recebeu uma carta da imobiliária informando que o proprietário pretende cancelar o contrato (previsto para o fim de 2011), pois o imóvel será vendido a uma incorporadora.

Na Justiça. Sobrou para Rosária a possibilidade de comprar a casa na Rua Baltazar Carrasco. O problema é o preço: R$ 800 mil. "Não vale nem R$ 200 mil. Fizeram isso para eu não conseguir comprar." Ela garante que vai brigar na Justiça para que o contrato seja cumprido. Mas também já procura casas em outros locais, mais "acessíveis".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.