Pré-Jornada: SP receberá mais de 10 mil estrangeiros

Peregrinos de mais de 50 países ficarão uma semana na capital paulista, antes de seguir para o Rio, para o encontro com o papa Francisco

JOSÉ MARIA MAYRINK, O Estado de S.Paulo

26 Maio 2013 | 02h04

A coordenação da Semana Missionária da Arquidiocese de São Paulo, que precederá, de 16 a 22 de julho, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio, tem 22 mil vagas cadastradas para receber jovens de mais de 50 países. Cerca de 10 mil peregrinos já confirmaram inscrições e o número deve crescer nas próximas semanas, na previsão do coordenador da Comissão de Hospedagem, padre Michelino Roberto, pároco da Igreja de Nossa Senhora do Brasil.

Milhares de jovens que vão à JMJ participarão da pré-jornada, a Semana Missionária, em dioceses de todo o Brasil. Além de uma programação religiosa, terão uma agenda paralela, para conhecer a realidade social, política, econômica e cultural do povo. Depois, viajarão em caravanas para o Rio.

As famílias hospedeiras, inscritas em cerca de 300 paróquias, vão abrigar rapazes e moças em suas casas, com a obrigação de oferecer apenas dormitórios, banheiros e café da manhã. "Os peregrinos chegam com sacos de dormir, o que permite acomodar mais gente", diz Kamila Gomes, secretária da Semana Missionária em São Paulo. As refeições principais serão oferecidas pelas paróquias.

Os jovens serão distribuídos pelo critério dos idiomas falados. Os hospedeiros terão de falar pelo menos uma língua estrangeira para se entenderem com os peregrinos. "Na Nossa Senhora do Brasil, que já inscreveu 115 hóspedes, há famílias que falam várias línguas, principalmente inglês e francês, mas também algumas mais difíceis, como polonês e árabe", diz padre Michelino. Da diocese de Bagdá, no Iraque, virão 163 jovens e dos Emirados Árabes já se inscreveram 180.

A coordenação da Semana Missionária terá uma equipe de plantão no Aeroporto de Guarulhos. De lá eles serão encaminhados para as paróquias, onde as famílias anfitriãs os levarão para casa.

Local. A agenda dos primeiros dias, de 16 a 18, será organizada pelas paróquias, conforme os interesses dos jovens. Visitas à periferia, museus, passeios pela cidade e atos religiosos constarão do programa. A delegação da Espanha, presidida pelo cardeal de Madri, traçou um roteiro para ir ao Mosteiro de São Bento, Pátio do Colégio e Catedral da Sé. Estado e Prefeitura vão colaborar com a Arquidiocese para facilitar a passagem dos peregrinos por São Paulo. Eles não pagarão, por exemplo, ingressos em museus e outras instituições culturais.

Os seis setores episcopais arquidiocesanos - Sé, Santana, Belém, Brasilândia, Ipiranga e Lapa - celebrarão vigílias regionais em ginásios e parques com os peregrinos hospedados em sua área. A concentração de Brasilândia será no Parque do Jaraguá, aonde os participantes chegarão a pé. O encerramento da Semana Missionária será na Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, ao lado do Campo de Marte.

Mais conteúdo sobre:
papajornada mundialrio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.