TIAGO QUEIROZ/ESTADãO
TIAGO QUEIROZ/ESTADãO

Pré-carnaval em SP tem duas estações de metrô fechadas e poucos banheiros

Reclamações se multiplicaram em diferentes regiões da capital. Prefeitura reconheceu problema dos banheiros

Priscila Mengue e Caio Faheina, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2019 | 22h22

SÃO PAULO - No pré-carnaval em São Paulo, as reclamações mais frequentes de foliões se referiam à falta de banheiros, a problemas com lixeiras e limpeza e à ausência de informações sobre o funcionamento do metrô, que teve duas estações fechadas. A Prefeitura reconheceu haver 300 banheiros a menos do que o previsto.

A internacionalista Fernanda Geiger, de 28, foi ao bloco da Banda Eva, na Avenida Luís Carlos Berrini, para comemorar o aniversário de uma amiga. Este será o 3.º carnaval dela em São Paulo, pois costumava viajar para o litoral paulista ou aproveitar oblocos do Rio. “A maior diferença é que lá tem mais espaço, aqui fica muito confinado. Deveria ser em avenidas mais largas.” Ela também reclamou da quantidade de banheiros químicos. Como estava cheio, ficava difícil se deslocar por quadras e ela preferiu enfrentar uma fila de mais de 30 pessoas em uma cafeteria.

“A quantidade (de banheiros) é desproporcional ao número de gente aqui”, relatou Ana Paula Martins, de 15 anos, que seguiu blocos no Largo da Batata, zona oeste. A estudante conta que deixou de ir ao banheiro “muitas vezes” por causa da constante fila que se formou durante o dia. No início da noite, o Estado encontrou só dez cabines na imediações do largo. Lanchonetes e restaurantes do entorno aproveitaram para cobrar entre R$2 e R$5 a quem quisesse utilizar banheiro privado.

O problema foi reconhecido pela Prefeitura, que disse ter havido problema com a empresa responsável por fornecer a estruturas. Segundo a gestão Bruno Covas (PSDB), estão previstas para oito dias de folia, entre pré-carnaval e carnaval, um total de 12,8 mil diárias de banheiros. Para este sábado, eram previstas 1,4 mil estruturas, mas não foram entregues cerca de 300. O Município informou que, em razão disso, a empresa deverá fazer compensação hoje, fornecendo 300 banheiros a mais do que estão previstos. 

A chuva no início da noite deste sábado não só refrescou os foliões do calor de 32º C que se manteve durante o dia. Pontos de lixo ficaram mais evidentes, espalhando latinhas, garrafas de vidro e de plástico pelas ruas. No Largo da Batata, poças acumularam centenas de resíduos. A Prefeitura disse que montou operação com 1.840 agentes de limpeza e frota de 214 veículos.

Metrô

Quem tentou circular de metrô nas imediações de Pinheiros, na zona oeste, enfrentou grandes dificuldades. Segundo a ViaQuatro, que administra a linha 4-Amarela, o fechamento temporário das estações Faria Lima e Fradique Coutinho neste sábado ocorreu visando a “preservar a segurança dos passageiros”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.