Praia Grande recebe mais 80 guarda-vidas na alta temporada

Eles vão ajudar os 63 bombeiros que atuam nos 22 km de orla durante o ano; serão três meses de apoio

Rejane Lima, O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2008 | 21h43

Oitenta guarda-vidas temporários vão começar a trabalhar na Praia Grande no próximo dia 19, sexta-feira. Treinados durante quatro semanas, eles vão auxiliar os 63 bombeiros que já atuam nos 22 quilômetros da orla da Praia Grande durante todo o ano.   Veja também: Sabesp lançará campanha para evitar falta de água no litoral   As equipes temporárias ficarão na praia das 7 às 19 horas durante três meses. No curso preparatório, os candidatos tiveram aula de prevenção e salvamento aquático, técnica de recuperação de afogados, conhecimentos básicos sobre o mar e primeiros socorros. Do total de contratados temporários, 50 serão custeados pela Prefeitura e os demais pela Petrobrás.   Em Praia Grande, os guarda-vidas dispõem de duas viaturas de socorro e três embarcações para patrulhando da orla, além de dividirem um helicóptero com os municípios vizinhos de Mongaguá e Itanhaém. No entanto, o Corpo de Bombeiros lembra que apesar de todo o esquema de segurança, o mais importante é a conscientização. O alerta é conhecido: água no umbigo, sinal de perigo. Para evitar problemas confira as dicas dos Bombeiros, que podem ser acionados pelo telefone de emergência 193:   - Quando chegar à praia, procure orientação de um guarda-vidas para saber qual o local mais seguro para o banho de mar; - Não abuse do álcool, que faz você perder a noção do perigo; - Comer demais e entrar na água é perigoso. Você corre o risco de ter uma congestão; - Não avance além da linha do umbigo. Lembre-se: "Água no Umbigo Sinal de Perigo"; - Não confie em bóias, pranchinhas e objetos flutuantes. Eles transmitem falsa impressão de segurança; - Evite entrada brusca no mar após longa exposição ao sol. Há o risco de choque térmico e desmaio; - Evite exposição excessiva ao sol, pois há o risco de insolação; - Pais e responsáveis por crianças devem dar atenção especial a elas quando estiverem nas praias, procurando sempre identificá-las com pulseiras distribuídas gratuitamente nos Postos de Bombeiros; - Quando as crianças forem para o mar, devem estar sempre acompanhadas; - Caso esteja em situação de risco no mar, sendo arrastado por uma correnteza, não entre em pânico; procure boiar e, em seguida, pedir socorro, ou nadar paralelamente à praia; - Se encontrar alguma pessoa em dificuldades no mar, não tente salvá-la. Jogue uma bóia e avise o guarda-vidas mais próximo. Ele saberá como agir; - Afaste-se das praias em caso de temporal ou raios; - Evite banhos marítimos noturnos. Nesse período dificilmente você conseguirá ajuda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.