Praças da Sé e República ainda não têm revitalização prometida

Após obras de R$ 7,2 milhões, ainda não é possível ver a esperada 'nova vida' para as praças da capital paulista

Vitor Hugo Brandalise, de O Estado de S. Paulo,

21 de fevereiro de 2008 | 18h50

Após obras de R$ 7,2 milhões para revitalização das Praças da Sé e República, no centro de São Paulo, a realidade predominante nas praças está longe de mostrar a revitalização prometida.   Ao contrário do novo cenário que as obras deveriam trazer, nas praças ainda se vêem usuários de drogas acendendo cachimbos de crack e moradores de rua dormindo enrolados em cobertores. Quem passa por ali não pensa em parar.   "As praças perderam totalmente o caráter de local de convivência para a comunidade. Como espaço de lazer, elas têm de ter segurança. As pessoas devem se sentir seguras para freqüentá-las", diz a arquiteta e urbanista Lucila Lacreta, diretora do movimento Defenda São Paulo.   Leia a íntegra desta reportagem na edição de sexta-feira, 22, de 'O Estado de S. Paulo'

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.