Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Praça Cidade de Milão sofre com abandono

Chafariz sem funcionar, réplicas de estátuas renascentistas sujas, lixo e entulho espalhados [br]estão entre os problemas

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

24 Maio 2011 | 00h00

Sete anos depois de uma reforma que consumiu R$ 270 mil, a fonte Milão-São Paulo e suas réplicas de obras renascentistas de Michelangelo estão degradadas. Um chafariz que não funciona, estátuas sujas e um espaço seco, quando deveria estar cheio de água, formam o cenário na Praça de Milão, área vizinha ao Parque Ibirapuera, na zona sul.

A reforma foi feita pelo Instituto Italiano de Cultura e recebeu verba da cidade de Milão. O motivo foi o aniversário de 450 anos da capital paulista. As quatro estátuas da fonte (Noite, Aurora, Crepúsculo e Dia) são seu principal atrativo.

O abandono se espalha pela própria Praça de Milão. O local foi inaugurado na década de 1960, quando as cidades de São Paulo e Milão se tornaram irmãs. Às vésperas do evento conhecido como "Ano da Itália no Brasil", que começa em outubro, a praça tem canteiros degradados e restos de materiais de construção, como tijolos e areia, espalhados no canteiro. Além disso, o lixo toma conta da praça em dias de feira na Rua Diogo Jácome. A calçada, reformada no fim do ano passado, é uma das poucas coisas em bom estado no local.

Entre moradores e comerciantes, sobram queixas. "Essa praça tem de ser refeita do zero. Está acabada", afirma Roberto William, de 25 anos, funcionário de um pet shop vizinho. Segundo ele, moradores deixavam de ir ao Parque Ibirapuera para ficar na praça, o que já não ocorre.

A zeladora encarregada pela Prefeitura de cuidar da praça, Fátima Cândido, conta que teve de retirar moradores de rua que haviam se apropriado do espaço. Segundo a Associação dos Moradores da Vila Nova Conceição, a Prefeitura tem se mostrado interessada, mas os resultados não têm andado na velocidade desejada. A Subprefeitura Vila Mariana trocou em 2010 o piso de passeio, reformou o entorno da fonte e removeu eucaliptos em risco de queda. O órgão prometeu intimar a empresa responsável para que retire o entulho e disse que há nova reforma prevista para a fonte, sem prazo.

Remoção de eucaliptos. Cerca de cem eucaliptos foram retirados no ano passado pela Subprefeitura da Vila Mariana, porque apresentavam risco de queda. Segundo a Prefeitura, novas árvores serão plantadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.