Poupatempo vai marcar retirada de carteira de habilitação pela internet

Com agendamento, ficará mais fácil renovar e conseguir primeira CNH; hoje, atendimento chega a demorar 6 horas

Luísa Alcalde, Jornal da Tarde

05 de fevereiro de 2012 | 21h16

SÃO PAULO - Para tentar dar fim às longas filas que têm obrigado motoristas a amargar até seis horas de espera para tirar ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o Poupatempo começa, nesta quarta-feira, a agendar em quatro dos seus cinco postos da capital (Sé, Santo Amaro, Itaquera e Cidade Ademar) o serviço de obtenção desse documento.

O agendamento, com escolha do dia e horário dentro de datas disponíveis no sistema, poderá ser feito por meio do site www.e-cnhsp.sp.gov.br. Nas três unidades do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) - Armênia, Aricanduva e Interlagos -, esse serviço já é oferecido desde o dia 19 de dezembro, quando o governo adotou o novo processo de emissão de habilitação de motoristas na capital.

Candidatos que quiserem tirar pela primeira vez a carta de motorista ou renová-la, primeiramente tem de fazer o pré-cadastro pela internet, agendar a coleta biométrica (registro das impressões digitais, assinatura digital e foto) e apresentar no balcão de atendimento os documentos necessários.

Só após esse processo é que os interessados são encaminhados para a etapa seguinte: o exame médico. Antes da mudança, quem tirava ou renovava a carta fazia o exame médico e só depois entrava com a papelada. No caso da primeira habilitação, após esse processo o candidato está apto a prosseguir com o modelo tradicional: exames psicotécnicos e realização de aulas teóricas e práticas.

Diferentemente do Detran, que encaminha os motoristas a clínicas médicas credenciadas, no Poupatempo há a opção de o usuário resolver a parte administrativa e o exame médico no mesmo local.

Apesar de ter aumentado o número de salas para esse atendimento clínico, na unidade Sé do Poupatempo, na região central, o serviço não tem dado conta da grande procura. O resultado são filas enormes e muita reclamação dos usuários, situação encontrada pela reportagem na quarta-feira.

Dia atípico. O superintendente de novos projetos do Poupatempo, Ilídio Machado, diz que, no dia da visita da reportagem, fatos atípicos contribuíram para aumentar o tempo de espera. De acordo com ele, nessa data o sistema havia caído pela manhã e o painel eletrônico também apresentou falhas e saiu do ar.

Outro motivo alegado para a lentidão é a preferência de quem procura o Poupatempo para fazer o exame médico, em vez de usar os serviços de uma clínica médica. Segundo Machado, a partir desta quarta-feira, no entanto, com o agendamento, o tempo que o candidato vai levar para confirmar os dados, fazer a análise biométrica e passar pelo exame será de 25 minutos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.