Poucas pessoas aderem aos 'bons drink'

Com quase 10 mil confirmações no Facebook, evento reúne apenas os organizadores

Felipe Tau, Jornal da Tarde

18 de junho de 2011 | 16h15

Marcada para começar às 14 horas e com quase 10 mil convidados confirmados no Facebook, a Marcha dos Bons Drink, evento divulgado pela diretora de arte de cinema Alessandra Maestro, de 38 nos, só tinha reunido cinco pessoas por volta das 15h30 deste sábado. A festa é uma das três manifestações marcadas para a região da Avenida Paulista este fim de semana.

A assistente de direção de cinema Camila Andreoni, de 31 anos, conta que ela conversava com a amiga Alessandra há umas três semanas pelo Facebook, quando tiveram a ideia de criar uma marcha divertida. "Ela riu e resolveu colocar o evento no Face, mas esqueceu de fechar para os amigos. Aí o negócio ficou sério", diz Camila.

"A ideia era fazer uma reunião entre amigos, mas acabou tomando outra dimensão. Foi como aquele caso de uma festa de aniversário na Austrália publicada no Facebook. Agora eu espero que dê tudo certo", diz Alessandra.

O som começou a rolar por volta das 14 horas. O grupo trouxe dois tocadores de CD e um mixer (equipamento de discotecagem) para tocar principalmente rock. O produtor de finalização de cinema Francisco Mosquera, de 46 anos, se define como um "dublê de DJ" e conta que ficou encarregado de selecionar algumas músicas para a ocasião. "Fiz uma rapa lá em casa. Vamos tocar um pouquinho de cada coisa. Dependendo do gosto da galera, vamos encaixando uma coisa ou outra." Entre os ritmos que pretendia tocar estavam desde clássicos do rock, como Velvet Underground, até mambo, rock de garagem e música latina.

"Moro no Jabaquara, mas a Paulista é meu lugar preferido, adoro esta avenida. Quando tenho tempo, venho às manifestações políticas. Queria ir nessa marcha de hoje, da Liberdade, mas não vai dar porque a Alê me chamou para vir para cá. Espero que fique bem bacana, como a Marcha da Liberdade", diz Mosquera.

Estudantes

Além dos cinco amigos, organizadores do evento, dois estudantes do segundo ano do ensino médio também estavam presentes na Praça dos Arcos para aproveitar os "bons drink". Levando uma garrafa de Catuaba de um litro e dois copinhos de plástico, Gabriel J. e Rafael B, ambos de 16 anos, apareceram por lá às 14 horas. Como não encontraram ninguém, foram até o Masp ver se a festa não estava rolando por lá e voltaram às 15 horas.

"Estava na aula de física e vi pelo celular que ia ter esse evento, aí resolvi vir. Achei primeiro que seria pura tolice, mas depois, como teria essa ideia contra a violência, achei legal", diz Gabriel. "A gente achou que seria interessante vir aqui se embebedar. Mas também viemos pelo fundo contra violência", diz Rafael. Os amigos pretendem voltar à Paulista neste domingo, para protestar contra a usina Belo Monte e contra o Novo Código Florestal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.