Posição é equivocada

Na década de 1980, Jânio Quadros cercou as praças. Outras medidas se seguiram: vieram as grades sob os viadutos nas administrações de Paulo Maluf e Celso Pitta. Nos governos de Marta Suplicy e José Serra, foram os bancos ondulados e as rampas antimendigo. Atualmente, com a GCM coibindo a população de rua, a violência foi institucionalizada.

Análise: Alderon Pereira da Costa, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2010 | 00h00

Precisamos contar com a Igreja, que sempre esteve ao nosso lado. A posição da Sé é equivocada. A catedral simboliza a resistência , a luta pela democracia e não pode excluir os moradores de rua. Eles também são resistentes, porque nos mostram como a sociedade em que vivemos é desigual.

É EDITOR DO JORNAL "TRECHEIRO"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.