Portão do Metrô fecha 5h mais cedo na Luz

O cartaz grande fixado na fachada informa que a Estação Luz da Linha 4-Amarela do Metrô, no centro, fica aberta das 4h40 à meia-noite. Mas quem precisa acessá-la pela Rua Brigadeiro Tobias só tem até as 19h para entrar. Esse é o horário em que os funcionários da ViaQuatro, concessionária que administra a linha, fecham o portão. Depois, só dando a volta no quarteirão para conseguir entrar, pela Avenida Cásper Líbero.

CAIO DO VALLE / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2011 | 03h03

Mas comerciantes reclamam que, para isso, é preciso passar por um trecho da Rua Mauá onde, à noite, costuma haver usuários de drogas e assaltantes. "Também é perigoso porque tem muitos bares e é comum ver brigas", diz o manobrista José Alves Gama, de 48 anos.

Inaugurada há pouco mais de um mês, a estação tem apenas esses dois acessos. "Quando saio da loja e está chovendo, ainda sou obrigado a andar mais de cinco minutos para chegar ao metrô, mesmo com essa entrada bem aqui na frente", reclama o vendedor Israel dos Santos, de 45 anos.

Para a comerciante Maria da Silva Alves, de 38, não há razão aparente para a ViaQuatro barrar a circulação de pessoas à noite. "Se o problema é insegurança, que coloquem vigias."

Morador da região, o entregador Antonio do Nascimento, de 40 anos, diz que muita gente é pega desprevenida. "Não tem nem placa informando que existe o outro acesso."

Além dessa entrada, a praça sobre a estação, cercada por grades, também é fechada diariamente às 19h. A ViaQuatro diz que o fechamento cinco horas antes do término das atividades da estação é necessário porque o local é "subutilizado". Não seriam, portanto, motivos relacionados à segurança.

Segundo o presidente da concessionária, Luís Valença, logo após a entrega da estação constatou-se que havia uso muito pequeno da entrada após as 19h. "Em todos os lugares do mundo se adota esse tipo de prática."

Demanda. Ele diz, no entanto, que a concessionária vai avaliar "junto à comunidade" a melhor solução para a abertura do acesso. Os dados de demanda serão reconsiderados e, eventualmente, a saída poderá funcionar em horário integral. A mesma ideia, segundo ele, vale para o fechamento da praça à noite. Mas Valença não deu prazo para que a reconsideração seja feita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.