Portabilidade levou 40 dias

TELEFÔNICA/VIVO

O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2012 | 03h02

Registro reclamação contra o desserviço e descaso da Telefônica/Vivo. Em 10/6 solicitei a portabilidade do telefone fixo e, na ocasião, foi emitido um protocolo. No entanto, o serviço não foi realizado sob alegação de que faltavam documentos, embora a referida documentação tenha sido devidamente encaminhada. Sem conseguir resolver o problema por meio do SAC, fui, em 21/6, a um posto de atendimento e apresentei, de novo, a documentação. A funcionária então disse que não foi dado prosseguimento ao meu caso porque meu comprovante de residência (a conta de luz do mês corrente) era "inidôneo". Disse que eu deveria apresentar cópia da escritura do imóvel ou cópia do contrato de aluguel! Refutei e solicitei que fosse utilizada a referida conta para a comprovação de endereço. Feito isso, foi-me dado prazo de até cinco dias úteis para a conclusão da portabilidade. Transcorrido tal prazo e não concluído o serviço, registrei reclamação na Anatel. Recebi ligação da Telefônica dizendo que a portabilidade não tinha sido feita porque meu telefone fixo tinha sido cancelado - um absurdo, já que a linha estava ativa! Depois disso, não tive mais retorno.

CARLOS HENRIQUE RODRIGUES / CAMPINAS

A Telefônica/Vivo informa que o caso do leitor está sob verificação e acompanhamento técnico pela área responsável.

O leitor relata: Só a intervenção da Coluna possibilitou a resolução, ainda que parcial, do problema. Após mais de 40 dias para obter uma simples portabilidade, a linha foi instalada. Ainda assim, o técnico disse que eu deveria aguardar mais quatro dias para que a linha estivesse plenamente habilitada.

SERRA DA CANTAREIRA

Serviço Speedy instável

De novo estou com sérios problemas com o Speedy da Telefônica/Vivo. Na Serra da Cantareira os serviços prestados por essa empresa são precários - não se passa uma semana sem que haja problema na internet ou na linha telefônica. Tenho inúmeras ocorrências registradas na Anatel e na ouvidoria da Telefônica/Vivo, mas não recebo nem um retorno sequer. Chegaram a agendar a visita de um técnico, mas ninguém apareceu. Cadê o respeito ao cliente?

GILBERTO MAGALHÃES JUNIOR

/ MAIRIPORÃ

A Telefônica/Vivo informa que, após ajustes técnicos, o Speedy do leitor está funcionando normalmente. O cliente será ressarcido proporcionalmente ao período em que o serviço apresentou problema.

O leitor contesta: O problema não foi resolvido. A empresa deveria oferecer um serviço de boa qualidade em vez de propor tanto ressarcimento.

FEIRA NA RUA BATATAES

Barraca não é removida

Sexta-feira é dia de feira na Rua Batataes. O problema é que uma das barracas é desmontada, mas, ao contrário das demais, não é removida ao fim da feira. O material fica "armazenado" na calçada de uma casa sem número. O material é recolhido na madrugada de sábado por um caminhão que faz muito barulho e que deixa na calçada um monte de lixo. Para piorar, terminada a feira, a Prefeitura coloca nas calçadas umas caçambas (com a placa "Resíduo de feira") que ficam destampadas e atraem ratos e insetos. NELSON PENTEADO DE CASTRO

/ SÃO PAULO

A Subprefeitura Pinheiros informa que, diante da nova denúncia do leitor, a feira será novamente vistoriada e, caso a irregularidade persista, será lavrado novo auto de multa, por reincidência. Após a nova multa, se a subprefeitura constatar a permanência da conduta, será solicitada a suspensão do feirante na Supervisão-Geral de Abastecimento.

O leitor relata: A barraca foi recolhida, mas ainda falta resolver o problema das caçambas, um problema de saúde pública.

GUARULHOS

Degrau, enfim reparado

Sou morador de Guarulhos e, para trabalhar e levar minha filha à escola, uso uma escada no meio da Avenida Salgado Filho (altura do n.º 468). O caso é que, há tempos, essa escada está com os degraus danificados, pondo em risco pedestres que a utilizam. O local está perigoso e a prefeitura deveria consertá-lo com urgência!

ALESSANDRO VIDAL CACCIA

/ GUARULHOS

A Prefeitura de Guarulhos informa que já providenciou o reparo.

O leitor confirma: O reparo, enfim, foi feito. Mas sem a intervenção do jornal certamente o problema continuaria e a prefeitura nem se dignaria a me atender!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.