JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Porta-ternos voltam a ser tendência

Há modelos para todo estilo de homem, do executivo clássico ao mais despojado

Valéria França, O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2011 | 00h00

Vai viajar a negócios? Acessório antigo, o porta-terno volta à moda renovado. Surgiram até modelos despojados, de nylon, ideais para os homens que preferem circular pelos aeroportos de jeans e tênis, mas precisam de uma traje social na hora das reuniões. "Independentemente do estilo de quem usa, é uma mala elegante, que identifica o homem organizado", diz a personal shopper Ana Dias, que costuma assessorar executivos nas suas compras.

Ana analisou quatro modelos de marcas diferentes (veja quadro abaixo). Os preços variam de R$ 419,99 a R$ 1.189 - mas há modelos mais caros no mercado. "Todos são bem acabados e práticos, mas antes de escolher o modelo é importante saber o estilo e o que se costuma levar nas viagens rápidas."

Se a ideia for não carregar nenhuma outra mala, o porta-terno deve ter capacidade para acomodar a nécessaire, os sapatos, as meias, a camisa, e ainda alguns pertences eventuais. "Nesse quesito, o modelo da Victorinox perde para os demais. Ali não cabe mais do que um terno."

Mas ele ganha em jovialidade. E seu design é bem prático. A alça se encaixa no cabo de qualquer mala de rodinha - a marca tem uma pequena, para viagens curtas (R$ 930). Outra vantagem deste porta-terno é ter um gancho, que permite pendurá-lo fechado, e ser de nylon, leve para carregar.

Feito com o mesmo material, o da Primicia tem o dobro da capacidade se comparado com o modelo da Victorinox. Ele ainda se destaca por ser o único desenhado para comportar ternos tamanho grande ou extra-grande. "É o melhor custo-benefício", diz Ana.

Couro. "Impressionam mais os confeccionados em couro", afirma Ana. É o caso do porta-terno da Via Veneto. "Ele ainda é moderno. A alça a tiracolo deixa o acessório descontraído e prático." Ana ainda dá um conselho: "Como esse modelo tem dimensões maiores, homens baixinhos não devem pendurá-lo no ombro. É melhor carregar com a alça de mão."

Os modelos mais clássicos e sérios continuam em voga. O da Brooksfield é uma boa opção. Ele se confunde facilmente com uma pasta. É um pouco maior. E comporta dois ternos, duas camisas e dois pares de sapatos. "Ele foi desenhado para um homem tamanho médio. Não adianta querer colocar ternos grandes porque não cabe. É o mais chique."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.