Por trás do aumento está o radar inteligente

O número de apreensões aumentou depois que a Polícia Rodoviária Estadual passou a usar os chamados radares inteligentes na fiscalização. O equipamento faz a leitura da placa e, acoplado a um computador, verifica na hora se o veículo tem registro de furto, pendência de IPVA ou licenciamento atrasado. O policial que opera o radar faz contato por rádio com o colega na rodovia e o veículo é parado. A média de apreensões subiu de 4.490 para 9,4 mil, mais que o dobro.

SOROCABA, O Estado de S.Paulo

15 Abril 2012 | 03h05

Segundo a polícia, o maior número de apreensões se dá por falta de licenciamento, mas o número vem caindo. Nos três primeiros meses do ano, foram apreendidos 21.940 veículos nas rodovias paulistas - 8.188 em janeiro.

O artigo 271 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê liberação do veículo apenas após pagamento das taxas e multas, além dos gastos com remoção.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que os 36 pátios têm capacidade para 41.260 veículos e, em 31 de março, tinham 7.194 vagas disponíveis. Segundo o órgão, além de a grande rotatividade não permitir o esgotamento das vagas, a estadia máxima nos pátios é de 90 dias. Após esse período, os veículos sem restrição judicial são leiloados. Neste ano, no entanto, não houve leilão. No ano passado, foram realizados apenas dois. Segundo o DER, os veículos apreendidos são levados para o pátio credenciado mais próximo. Eventual aumento no número de pátios deverá ocorrer só após o fim do contrato com as atuais operadoras, em 2013.

O órgão estadual de estradas também alega que os valores dos serviços dos pátios estão em conformidade com portarias publicadas no Diário Oficial do Estado e foram estabelecidos com base no custo das atividades rodoviárias. /J.M.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.