Por telefone, juíza acusada de tentativa de extorsão oferece ajuda a noiva de goleiro

O Estado obteve cópia das escutas telefônicas de conversas da juíza Maria José Starling com a dentista Ingrid Oliveira, noiva do goleiro Bruno Fernandes, preso sob a acusação de matar a ex-amante Eliza Samudio, há um ano. Ingrid acusa a juíza de cobrar R$ 1,5 milhão para liberar Bruno. O grampo foi feito com autorização judicial a pedido do Ministério Público de Minas, que investiga a denúncia.

, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2011 | 00h00

Em uma das gravações, Maria José diz à dentista que pretendia fazer uma "lasanha" com Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, também preso. A juíza afirma que dá "orientação jurídica" para envolvidos no processo, o que é vedado a magistrados. "Qualquer dúvida, liga para mim", diz a Ingrid. A juíza não quis falar com a reportagem. Ouça a gravação em estadão.com.br/brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.