José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Por segurança, Câmara de SP exigirá documento de identificação para visitantes

A medida começará a valer a partir da próxima quinta-feira, 11; a Casa alegou que uma série de furtos foi registrado no interior do prédio

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2017 | 18h02

SÃO PAULO - Por motivos de segurança, a Câmara Municipal de São Paulo passará a pedir documento de identificação com foto para todos que visitarem o prédio do Legislativo, no Viaduto Jacareí, região central. A medida começará a valer a partir da próxima quinta-feira, 11; a Casa alegou que uma série de furtos foi registrado no interior do Palácio Anchieta.

Por nota, a presidência da Câmara informou que não haverá restrição na entrada, “apenas a exigência da identificação”. “Só em 2016, foram registrados 82 casos de furtos dentro da Casa – de torneiras de banheiros até lâmpadas. Tem havido ainda registros de uso de entorpecentes nos corredores do Parlamento paulistano”, declarou.

Nos próximos 30 dias, quem for ao Palácio e disser que não possui documento com foto será orientado a como obtê-lo e a entrada será liberada em seguida. O controle de acesso por identificação foi decidido pela Mesa Diretora (Ato 1364/2017). Segundo a Câmara, em média 4.000 pessoas, entre funcionários e visitantes, circulam pela Câmara Municipal de São Paulo por dia. 

“O objetivo é fazer algo nos moldes do Congresso Nacional e de outros prédios públicos, onde a identificação já é pedida há anos. A ideia é: traga seu RG e seja bem-vindo”, disse, por nota, o secretário-geral interino da Câmara, Paulo Baccarin. Além do público em geral, os funcionários da Câmara deverão se identificar, apresentando o crachá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.