Estadão
Estadão

Por segurança, Prefeitura cancela Virada no Minhocão

PM fez representação no Ministério Público; segundo a corporação, espaço não tem rotas de fuga, necessárias em caso de tumulto

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

18 Junho 2015 | 20h29

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo decidiu cancelar os eventos da Virada Cultural que seriam realizados no Minhocão (Elevado Costa e Silva), na região central de São Paulo. As 18 apresentações programadas no local deverão ser deslocadas a outros pontos da cidade. A decisão ocorre após representação da Polícia Militar apresentada ao Ministério Público, pedindo a não realização do evento no local. A PM considera que o espaço não é adequado à realização de eventos.

 

"O Minhocão tem poucas entradas e saídas. Com isso, em caso de tumulto, dificulta a nossa atuação. Não existe rota de fuga. Nós nos insurgimos em relação a esta situação", afirmou o comandante do Policiamento da Capital, Reinaldo Zychan de Moraes.

 

Outra reclamação da PM apresentada ao Ministério Público é a ausência do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) para todos os palcos do evento, documento que garante a segurança dos equipamentos. "Toda vez que é realizado algum evento público, é obrigação de quem promove esse evento apresentar ao Corpo de Bombeiros um projeto de segurança que vai envolver algumas questões primordiais, principalmente em caso de tumulto. Tempo de evacuação, se o local comporta a quantidade de pessoas, quem é o responsável técnico pela montagem dos palcos. A Prefeitura não apresentou isso", disse Moraes.

Segurança. Depois de receber críticas sobre o número de ocorrências na Virada Cultural de 2014, a PM decidiu alterar a estratégia de segurança e aumentar o efetivo no evento. Ao invés de ficar instalada somente na proximidade dos palcos, a ideia agora é espalhar 54 bases em todos os corredores que servem de trajeto entre um palco e outro. A concentração da operação se dará na região central, das 22h de sábado às 4h do domingo.

"Nos locais de show existem pequenos furtos, pequenos crimes, mas a maior parte dos crimes violentos ocorre no trânsito de um palco até o outro", argumentou o comandante. A ideia da PM é estar mais "visível" aos cidadãos do que nos anos anteriores. A corporação não informou, no entanto, quantos policiais atuarão na Virada. 

A recomendação da polícia é que as pessoas tenham "atenção" com os pertences, principalmente celulares, no período crítico do evento (madrugada de sábado para domingo). A PM também sugere que se evite levar crianças e adolescentes ao evento nestes horários.

Mais conteúdo sobre:
Minhocão Virada Cultural

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.