Por racismo, defensor terá de pagar R$ 12 mil

Um defensor público aposentado de Belo Horizonte terá de pagar uma indenização de R$ 12.440 a uma faxineira por tê-la chamado de "negra, preta e pobre" na garagem do prédio dele. O caso aconteceu em fevereiro de 2008, e a sentença, de segunda instância, foi publicada ontem pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Segundo a vítima, a agressão foi inesperada e sem motivo. O aposentado contesta as acusações e diz que a faxineira tenta apenas obter vantagens financeiras com o processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.