Por que os paulistanos preferem carro ao metrô?

Transporte público já respondeu por 70% das viagens diárias A comodidade, aliada às dificuldades de expansão do sistema, favorece ações individuais Faltam ações de governo, educativas e restritivas

O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2012 | 03h03

O transporte público de São Paulo já foi responsável por 70% das viagens diárias. Esse porcentual caiu gradativamente, conforme a frota de carros aumentou, a ponto de, em 1997, responder por menos da metade das viagens diárias.

O que voltou a torná-lo atrativo foi a integração tarifária entre trens, metrô e ônibus, que ocorreu em 2004. Com a tarifa mais barata, mais pessoas voltaram ao transporte público e, atualmente, cerca de 56% dos habitantes da metrópole fazem viagens sem carro.

Em tempos de IPI reduzido e venda de automóveis batendo recorde sobre recorde, listamos cinco motivos que fazem as pessoas se afastarem dos trilhos e enfrentar os congestionamentos - e os picos nas sextas com chuva. / ARTUR RODRIGUES e BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.