Por onde anda...

Por onde anda...

, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2010 | 00h00

Falso padre desapareceu do Araçá

Marcos Rodrigues Fontana, que cobrava por velórios em cemitérios

Em outubro de 2009, o Estado revelou que o suposto "monsenhor" Marcos Rodrigues Fontana cobrava entre R$ 50 e R$ 200 para celebrar velórios no Cemitério do Araçá, na zona oeste de São Paulo. Cobrava de fiéis católicos, dizendo ser sacerdote, mesmo sem nunca ter sido ordenado padre pela Igreja Católica Apostólica Romana. Na época, cerca de 40 fiéis reclamaram à Arquidiocese de São Paulo, sentindo-se enganados. Um ano depois da denúncia, o "monsenhor" não é mais visto no tradicional cemitério da capital - tanto o Serviço Funerário Municipal quanto a Arquidiocese afirmam "nunca mais" ter recebido denúncias contra ele.

Processado pelo Ministério Público Estadual, Fontana foi condenado a 3 anos de reclusão por estelionato, em novembro de 2009, mas a pena foi substituída por prestação de serviços, com multa de R$ 2.325, destinada a entidades sociais. O MPE recorreu, pedindo que Fontana cumpra pena atrás das grades. O "monsenhor" também recorreu da pena recebida. O caso tramita no Tribunal de Justiça em segunda instância desde janeiro, mas ainda não há decisão.

Procurado pelo Estado, Fontana afirmou "não falar mais com jornalistas". Seu advogado, Osmar Tadeu Campos, adotou a mesma postura e se recusou a atender a reportagem. / VITOR HUGO BRANDALISE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.