Reprodução | 14.08.2015
Reprodução | 14.08.2015

Por aplicativo, áudio impõe toque de recolher em Osasco nesta sexta

Homem se identifica como integrante do Primeiro Comando da Capital e avisa que 'vai ter guerra'

O Estado de S. Paulo

14 de agosto de 2015 | 14h38

Atualizada às 17h50

SÃO PAULO - Em áudio de autoria desconhecida, um homem, que se identifica como integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), avisa que haverá toque de recolher em Osasco, na Grande São Paulo, na noite desta sexta-feira, 14. A informação circula pelo WhatsApp entre moradores do Jardim Mutinga, região do bar em que houve a maior quantidade de baleados, em Osasco.

"Levaram uns parceiro nosso da quebrada (...) Os 'cara' quer guerra? Vai ter guerra então. A partir das 11 horas da noite de hoje, não quero ver zé povinho na rua, não, que o bagulho vai ser louco. O bagulho é o Primeiro Comando da Capital", diz o áudio, obtido pelo Estado

Dezoito pessoas morreram e seis ficaram feridas na noite de quinta-feira, 13, nas cidades de Osasco e Barueri. Os crimes ocorreram das 21 horas às 23 horas. A polícia suspeita de que as mortes tenham acontecido em reação ao latrocínio de um policial militar em Osasco e um guarda civil metropolitano em Barueri. 

Testemunhas relataram que, antes de atirar, os criminosos teriam questionado sobre quem tinha passagem policial. O secretário de Segurança Pública disse que perguntar sobre o passado criminal e usar coturno é "típico de quem quer fingir que é um policial". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.