Por 15 dias, clube economizou cerca de R$ 15 milhões

O Palmeiras escapou de ter de pagar até R$ 15 milhões em contrapartidas para o trânsito da Vila Pompeia, na zona oeste. A obra da arena para 45 mil pessoas ganhou certidão de diretrizes da CET no dia 20 de abril, apenas 15 dias antes de a nova lei para os polos geradores de tráfego em São Paulo ser sancionada pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM).

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 00h00

Pela regra atual em vigor, empreendimentos com mais de 500 vagas de estacionamento estão sujeitos a ter de construir obras viárias como novas avenidas ou um viaduto. A arena palmeirense terá garagem com capacidade para 1.250 veículos.

A nova regra também determina que as obras de contrapartidas devem ser definidas em até 60 dias pela CET. Se os técnicos decidirem que as intervenções não são necessárias porque o empreendimento não gera tráfego, ainda assim o responsável pela obra terá de depositar 1% do valor da construção no Fundo Municipal de Desenvolvimento de Trânsito (Fumdet).

Antes, como não havia prazo para a CET informar as contrapartidas, um empreendimento esperava até dez anos para conseguir a regularização na CET.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.