População protesta contra falta de água no interior de SP

Torneiras estão secas e caminhão-pipa entrega água com barro, dizem moradores de Orlândia

Rene Moreira, Especial para O Estado

05 Fevereiro 2014 | 18h22

FRANCA - As seguidas interrupções no fornecimento de água levaram os moradores de Orlândia, no interior de São Paulo, a fazerem um "panelaço" na frente da prefeitura, na tarde desta terça-feira, 4. Com baldes nas mãos e apitos, cerca de 40 pessoas fizeram muito barulho enquanto reclamavam das torneiras secas e da água barrenta que estaria sendo distribuída pelos caminhões-pipa.

O problema, que já ocorre há anos, afeta principalmente os bairros Brasão e Santa Rita e se acentuou desde o mês passado. Para conseguir garantir a higiene e outras atividades básicas, a população se vê obrigada a buscar alternativas e a protestar.

Com um cartaz, o morador Antônio da Silva foi à sessão da Câmara desta semana cobrar alguma providência por parte dos vereadores. Ele diz que deve R$ 150 de conta de água, mesmo com o líquido faltando em sua casa, e que o caminhão-pipa não dá conta de encher as caixas do bairro Brasão. Alguns vereadores alegaram que a solução para o problema na cidade seria furar mais poços. Já a vereadora Michele Ruffo (PMDB) sugeriu que sejam oferecidos descontos nas contas de quem sofre com a falta de água.

Telefone. A prefeitura local criou nesta quarta, 5, um serviço de Disque Água para atender as reclamações. Mas argumenta que em alguns bairros a distribuição de água é insuficiente e o problema se acentua com o aumento do consumo nesta época de calor. De acordo com a administração municipal, está prevista uma redistribuição das redes nos próximos meses para, em seguida, ser providenciada a perfuração de dois novos poços, o que deve ocorrer até o final deste ano.

Mais conteúdo sobre:
calor água abastecimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.