População pode entregar armas nas subprefeituras

O Ministério da Justiça lançou ontem em São Paulo a terceira Campanha Nacional do Desarmamento. Na capital, além dos postos da Polícia Federal, estão autorizados a receber armas unidades da Guarda Civil Municipal (GCMs), subprefeituras e os Centros de Integração da Cidadania (CIC).

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2011 | 00h00

Ao entregar a arma, o dono recebe um cartão com um protocolo da Polícia Federal para retirar a indenização em até 30 dias. A indenização oscila entre R$ 100, R$ 200 e R$ 300, dependendo do modelo da arma.

Embora não tenha um objetivo numérico de recolhimento, o governo aposta que o anonimato vai estimular mais donos de armas de fogo a abrir mão da autodefesa. "Nós sentimos que muitas pessoas tinham receio de entregar as armas por medo de serem punidas", explicou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. A propaganda de rádio e TV já está sendo veiculada e tem como narrador o ator Wagner Moura, intérprete do Capitão Nascimento na série Tropa de Elite.

Em duas edições anteriores da campanha (em 2004-2005 e 2008-2009), foram recolhidas 550 mil armas, que acabaram inutilizadas e incineradas. Só ontem, na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, foram destruídas 4 mil armas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.